Jorge
Jorge Jubrail

30 de junho de 2020 - 08:40

Atualizado em 30 de junho de 2020 - 08:40

Jorge Jubrail

Paciência, temperança e resiliência

Fazendo uso da paciência, da temperança e da resiliência, enfim, chegara ao seu destino.

Paciência, temperança e resiliência

Paciência é uma grande virtude que, aliada à temperança e a resiliência, nos tornam fortes para encarar qualquer adversidade com sabedoria na dose certa. Porém, não devemos confundir a paciência com comodismo ou conformismo, que é ficar de braços cruzados esperando as coisas acontecerem ou aceitar que não aconteçam.

Quando somos pacientes com alguma coisa, podemos seguir realizando outras, independentes do que estejamos esperando. Ter paciência significa seguir a jornada com fé e esperança, acreditando que no momento oportuno colheremos o resultado do que semeamos. Há coisas na vida que não dependem exclusivamente de nossa vontade, mas, dos esforços e, principalmente, do merecimento.

A temperança, outra virtude importante, pertence àqueles que são comedidos e equilibrados; àqueles que sabem esperar e usar com moderação seus conhecimentos e experiências. Com paciência e temperança eliminamos a ansiedade, porque sabemos que o futuro está sendo construído agora. Lá na frente, será dado a cada semeador, sem sobras ou falta, exatamente o que semeou, portanto, que seja uma semeadura do bem.

Por fim, a resiliência, que é a virtude daqueles que aceitam retroceder “um passo” para avançar “dez passos” na sequencia da jornada. Nem sempre a dureza significa resistência, às vezes, para resistirmos é preciso sermos maleáveis e compreensivos.

“Não há lugar para a sabedoria onde não há paciência.”Santo Agostinho