Jorge Jubrail
Pensamentos e Reflexões

Por Jorge Jubrail

Literatura
Jorge Jubrail

Microconto: A paz esteja convosco.

Por onde caminhava era só paz.

Microconto: A paz esteja convosco.

30 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 4 de junho de 2020 - 15:56

Com ao menos três coisas básicas, podemos pensar em viver em paz:

– Liberdade

– Amor

– Respeito

A liberdade não é apenas vivermos livres ou evitarmos conflitos, é quando, inevitavelmente, estivermos dentro deles, não nos deixarmos influenciar, mantendo o equilíbrio e a serenidade para pensar, agir e reagir dentro das crenças e valores que acreditamos, sem sofrer a influência externa, principalmente debaixo de violência física ou psicológica.

Liberdade pressupõe-se viver sem culpas ou remorsos, como livres pensadores. Mesmo um preso condenado justamente, em algum momento, precisará sentir-se livre do passado e do conflito entre a culpa e o perdão próprio, para cumprir sua pena de forma serena e em paz consigo mesmo. Apesar de condenado, cumprirá sua pena sem preocupações ou ansiedades, vivendo um dia pelo outro, sem alimentar o mesmo mal que o levou até ali.

Do amor é mais complicado comentar. Porém, poderíamos começar com uma pergunta básica; quais são as pessoas que mais amamos na vida? Acredito que a grande maioria mencionará entes queridos, amigos, talvez seus mentores espirituais e religiosos, algum professor ou ídolo, mas, tenho certeza que poucos se colocarão dentre as pessoas amadas, isso mesmo, antes de amar alguém, precisamos nos amar, o Divino Exemplo nos deixou essa mensagem: – Amar ao próximo como a si mesmo. – Afinal, se não formos capazes de nos amar, como amaremos o próximo?

O respeito, que depende muito da tolerância e da igualdade principalmente. Precisamos entender que, assim como queremos que o próximo tolere e aceite os nossos direitos até o limite, a recíproca é verdadeira. É um pouco difícil, mas, nossos limites terminam onde se inicia os do próximo, não queiramos ir além deles, para que não queiram o mesmo conosco. Somos todos iguais e por direito temos as mesmas obrigações e deveres cívicos. Quando perdemos o respeito ou desrespeitamos alguém, quebramos a harmonia das relações humanas e abrimos caminho para o conflito.

Por fim, a paz não se busca, se leva para onde quer que se vá. A tranquilidade e a leveza da paz são os sentimentos que, talvez, nos façam sentir mais humanizados. A paz é o produto mais humano e racional que podemos produzir sem precisar de muito, apenas de vontade própria e energia positiva: – A paz é a única forma de nos sentirmos realmente humanos.Albert Einstein