Entretenimento

Jonas Gwangwa, “gigante” do jazz sul-africano, morre aos 83 anos

Reuters
Reuters

23 de janeiro de 2021 - 15:13 - Atualizado em 23 de janeiro de 2021 - 15:13

JOANESBURGO (Reuters) – O trombonista e compositor de jazz sul-africano Jonas Gwangwa, cuja música impulsionou a luta contra o apartheid, morreu neste sábado aos 83 anos, informou a Presidência. 

O presidente Cyril Ramaphosa conduziu as homenagens ao lendário músico que foi indicado ao Oscar pela música tema do filme de 1987 “Um Grito de Liberdade”. 

“Um gigante do nosso movimento cultural revolucionário e nossas indústrias criativas democráticas foi chamado para repousar”, disse Ramaphosa. 

“O trombone que estrondeava com ousadia e bravura, e igualmente aquecia nossos corações com melodia suave, perdeu sua força vital”, acrescentou o presidente. 

Não foram divulgados detalhes sobre como ou onde Gwangwa morreu. 

Ele faleceu no terceiro aniversário da morte do “pai do jazz sul-africano” Hugh Masekela e no segundo aniversário da morte da lenda da música zimbabuense Oliver Mtukudzi. Para os meios de comunicação, 23 de janeiro se tornou “o dia em que a música morreu”. 

Gwangwa nasceu em outubro de 1937 em Soweto e teve uma carreira de 40 anos. 

(Reportagem de Promit Mukherjee) 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.