Abonico
Abonico Smith / Jornalista e professor especializado em arte, cultura e entretenimento

15 de outubro de 2019 - 00:00

Atualizado em 15 de outubro de 2019 - 00:00

Cultura

Fuerza Bruta chega a Curitiba para deixar a plateia sem ar

Grupo argentino apresenta na próxima semana na Pedreira Paulo Leminski um espetáculo de experiência dinâmica e imersiva em 360 graus

É teatro? É dança? É performance? É um show de arena para grandes plateias? É tudo isso junto e misturado. E pela primeira vez a plateia paranaense poderá vê-lo em ação. O grupo argentino Fuerza Bruta trará na próxima semana à capital do estado sua experiência dinâmica e imersiva, que propõe um diálogo direto com os espectadores através de demonstrações artísticas e interações que também os coloca dentro da cena. O espaço cênico será a Pedreira Paulo Leminski e a temporada da companhia se estenderá entre os dias 22 e 27 de outubro, sendo que entre sexta e domingo serão feitas duas sessões (mais informações sobre horários e ingressos você tem se clicar aqui). O número de espectadores se limitará a mil pessoas por apresentação. Os presentes ainda poderão estacionar os automóveis dentro da própria Pedreira.

A montagem escolhida para vir a Curitiba chama-se Look Up. Recentemente exibida em Singapura, possui pouco mais de uma hora de duração e reunirá toda a audiência em um espetáculo de 360 graus, com direito a palco “envelopado” em uma sala escura, acrobatas nadando em piscinas suspensas, artistas nas paredes e no teto e ainda outras propostas e situações sui generispossibilitadas em um espaço de grandes dimensões. O objetivo principal é deixar a plateia “sem ar”, através do uso de elementos como música, dança, água, fumaça e efeitos de luz (estroboscópica, inclusive – vale alertar para quem possa ter problemas em relação a isso).

Colocar o Fuerza Bruta para se apresentar em Curitiba já era um sonho antigo de Patrick Cornelsen, diretor da empresa Planeta Brasil, responsável por esta temporada de uma semana na Pedreira Paulo Leminski. ”Desde 2006, quando organizamos o Tim Festival no mesmo local, já tínhamos a intenção de trazer a companhia para cá”, lembra, ressaltando que as negociações levaram sete anos para que o desejo se concretizasse. Em muito facilitou a presença do Fuerza Bruta na capital paranaense a experiência levada pela trupo a este último Rock In Rio, mostrando ao público de quase 50 pessoas em sete dias uma versão pocket, inspirada e baseada parcialmente na própria história do festival de música.

Criado na Argentina em 2003 após uma dissidência de uma companha chamada De La Guardia, o Fuerza Bruta possui, atualmente, um quarteto no comando das apresentações: o criador e diretor artístico Diqui James, o coordenador geral Fabio D’Aquila, o diretor técnico Alejandro García e o compositor e diretor musical Gaby Kerpel. Além de viajar por diversos países de todo o planeta, o grupo ainda costuma se apresentar constantemente no circuito nova-iorquino Off-Broadway há doze anos.