Entretenimento

Filme de Cannes sobre hospital sobrecarregado mira França de Macron

Reuters
Reuters

10 de julho de 2021 - 16:25 - Atualizado em 10 de julho de 2021 - 16:25

CANNES, França (Reuters) – Em um hospital onde médicos sobrecarregados precisam lidar com um fluxo de manifestantes feridos, o filme francês de humor ácido “The Divide” apresenta uma fotografia das tensões sociais na França que se tornou ainda mais relevante desde a pandemia de Covid-19, afirmou sua diretora neste sábado no festival de cinema de Cannes.

O filme gira em torno de personagens que percorrem caminhos diferentes na vida –como um motorista de caminhão infeliz e um cartunista de Paris– que se encontram em um hospital, no contexto dos protestos dos “Coletes Amarelos” contra o governo.

Os protestos, que começaram em 2018 como um movimento contra o alto custo de vida e às vezes se tornaram conflitos violentos com a polícia, arruinaram o segundo ano do mandato do presidente francês, Emmanuel Macron.

Questionada sobre o que diria a Macron se tivesse a chance, a diretoria Catherine Corsini, que frequentou hospitais e conversou com os “Coletes Amarelos” para preparar o filme, disse que acima de tudo defenderia os hospitais.

“Eu lhe diria para dobrar os salários de todos os funcionários da saúde”, disse Corsini em entrevista coletiva.

O filme foi concebido antes da pandemia de coronavírus, embora a filmagem tenha sido realizada em meio ao lockdown, acrescentando dificuldades ao elenco e à equipe, que tiveram que usar máscaras e encontrar novas ambientações, disseram os produtores.

A premissa é ainda mais relevante agora, acrescentou Corsini, com os hospitais sofrendo pressões adicionais.

(Reportagem de Sarah White)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.