Cultura

Foz do Iguaçu completa 107 anos com grandes adaptações em sua economia

Marcado pelas suas belezas naturais e seu forte turismo, o município está sendo exemplo na pandemia quando o assunto é “adaptação”

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações da RIC Record TV
Foz do Iguaçu completa 107 anos com grandes adaptações em sua economia
Foz do Iguaçu completa 107 anos com grandes adaptações em sua economia (Foto: Reprodução/Pixabay)

10 de junho de 2021 - 19:27 - Atualizado em 10 de junho de 2021 - 19:27

Nesta quinta-feira, 10 de junho, Foz do Iguaçu completa 107 anos. Sendo uma das cidades mais importantes do oeste do estado, pode se dizer que Foz é uma cidade que respira turismo e transpira hospitalidade.

O município, objeto de desejo de pessoas do mundo todo, faz com que muita gente viaje por horas, até mesmo dias, só para ver de perto as belezas naturais que guarda consigo. Porém, por trás desse desejo de mostrar apenas o que tem de mais belo, se esconde um esforço gigantesco para não incomodar as visitas com assuntos preocupantes, como os efeitos da pandemia sobre a economia.

Se reinventar foi preciso

Diante da ameaça do novo coronavírus sobre diversos aspectos, Foz do Iguaçu entendeu que, apesar do turismo ser o motor que faz a sua economia girar, outros setores também são fundamentais.

A hotelaria, por exemplo, foi o setor que parou apenas de receber turistas, porém, conseguiu manter os investimentos em um ritmo acelerado.

“Vários empresários do setor hoteleiro fizeram melhorias em seus estabelecimentos, muitas melhorias por sinal. Foz do Iguaçu, hoje, tem aproximadamente 35 mil leitos e estamos sonhando, estamos sonhando com o futuro, sem dúvida nenhuma. Tendo em vista essa quantidade de vezes que sofremos, então nossa única esperança é a nova Foz do Iguaçu do futura”

explica Neuso Rafagnin, presidente do Sindihotéis de Foz do Iguaçu.

Atingidos em cheio pelos fechamentos por causa da pandemia, o comércio também já mostrou que não veio a Foz para fazer turismo. Mesmo carregando grandes prejuízos, o setor sabe que tem papel fundamental no crescimento da cidade, principalmente no que diz respeito a geração de empregos.

“A esperança é muito boa, nos próximos meses veremos um movimento voltando normalmente. [Agora] Nós já vemos a Ponte da Amizade fluindo normalmente, e a gente entende que o turismo e o comércio juntos fazem Foz do Iguaçu crescer cada vez mais”,

explica Faisal Ismail, presidente da ACIFI.

Um olhar de dentro pra fora

Foz do Iguaçu não vive só de visitantes. A cidade também volta seus olhares e cuidados para os moradores. Bairros inteligentes oferecem conforto e segurança para quem escolheu a fronteira para viver.

De acordo com o prefeito da cidade, Chico Brasileiro, tudo que foi passado pela população nesta pandemia mostra que Foz do Iguaçu não será facilmente derrubada, pelo contrário, mostra quanto o munícipio é capaz de se reinventar e se manter forte.

“Nós vamos voltar fortalecidos, porque no período de pandemia, ninguém ficou parado, sem tomar atitude. Todo mundo foi se estruturando, se preparando, porque os próximos anos serão anos de ouro para Foz do Iguaçu”

afirmou o prefeito

E para comemorar esses 107 anos de história, Neuso Rafagnin, presidente do Sindihotéis de Foz do Iguaçu, deixa um recado aos futuros turistas:

“Foz aprendeu a ser uma cidade segura, aprendeu ainda mais a receber os visitantes. Foz está sem dúvida nenhuma uma cidade bastante linda e hospitaleira para receber qualquer turista, de qualquer estado, de qualquer lugar do mundo”

conda Rafagnin.

Veja a reportagem:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.