Cinema & Filmes

Gal Gadot defende seu papel de Cleópatra após críticas de embranquecimento

Estão exigindo que a produção contrate atriz com a mesma origem da figura histórica

Thiago
Thiago Barros / Editor-Chefe TOMMO
Gal Gadot defende seu papel de Cleópatra após críticas de embranquecimento
Divulgação

24 de dezembro de 2020 - 20:07 - Atualizado em 24 de dezembro de 2020 - 20:36

Gal Gadot falou pela primeira vez sobre a polêmica envolvendo sua escalação no novo filme de Cleópatra, em entrevista para a BBC News. A produção foi acusada de whitewashing (embranquecimento) por não contratar uma atriz com a mesma origem da personagem:

“Primeiro de tudo, se você quer ser fiel aos fatos, então Cleópatra era da Macedônia. Estávamos procurando por uma atriz dessa origem que poderia se encaixar com a personagem. Ela não estava lá e eu era muito apaixonada pela Cleópatra. Tenho amigos do mundo todo, e eles podem ser mulçumanos, cristãos, católicos, ateus, budistas, ou judeus, é claro… Pessoas são pessoas e eu quero celebrar o legado de Cleópatra e honrar esse ícone histórico incrível que eu admiro tanto (…) Sabe, qualquer um pode fazer esse filme. Estou muito feliz que vou fazer meu próprio filme também”.

A BBC ressalta que o cinema e a TV sempre retrataram a Cleópatra com mulheres brancas, estudos recentes apontam que Cleópatra tinha uma etnia mista e não tinha a fisionomia 100% europeia.

Patty Jenkins, que comandou Mulher-Maravilha, vai dirigir o longa, que conta com o roteiro de Laeta Kalogridis (Alita: Anjo de Combate, Alexandre e Ilha do Medo). Sem mais detalhes sobre elenco, produção, ou previsão de filmagens. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.