Entretenimento

Agência de direitos humanos da ONU expressa preocupação com princesa de Dubai

Reuters
Reuters
Agência de direitos humanos da ONU expressa preocupação com princesa de Dubai
Logo da Organização das Nações Unidas em Nova York

19 de fevereiro de 2021 - 10:36 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 10:40

ZURIQUE (Reuters) – A agência de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) disse nesta sexta-feira que pediu aos Emirados Árabes Unidos mais informações sobre a situação de Sheikha Latifa, de Dubai, e provas de que ela está viva.

Na terça-feira, o programa investigativo da BBC Panorama publicou um vídeo que disse ser de Latifa, uma das filhas do governante de Dubai, no qual ela diz estar sendo retida contra a vontade em uma vila fortificada.

“Sou uma refém, e esta vila foi convertida em uma prisão”, disse Latifa, de 35 anos, no vídeo. A Reuters não conseguiu verificar de forma independente onde e quando ele foi feito.

“Manifestamos nossas preocupações com a situação à luz dos indícios de vídeo perturbadores que emergiram nesta semana. Solicitamos mais informações e esclarecimentos sobre a situação atual de Sheikha Latifa”, disse Liz Throssell, porta-voz do Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, em uma entrevista coletiva virtual em Genebra.

A agência fez contato com a missão permanente do país em Genebra na quinta-feira, disse ela.

“Dadas as preocupações sérias com Latifa, solicitamos que a resposta do governo venha como uma questão prioritária… de fato, pedimos provas de vida”, acrescentou ela, dizendo ainda que a agência continuará a monitorar a situação atentamente.

O escritório de mídia do governo de Dubai e o Ministério das Relações Exteriores dos Emirados não responderam de imediato a um pedido de comentário nesta sexta-feira.

(Por Michael Shields)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1I0UY-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.