Entretenimento

Academia de Cinema dos EUA antecipa para sexta-feira debate sobre tapa de Will Smith

“É do melhor interesse de todos os envolvidos que isso seja conduzido no momento mais oportuno”, disse o presidente da Acadêmia

Reuters
Reuters
Academia de Cinema dos EUA antecipa para sexta-feira debate sobre tapa de Will Smith
Will Smith dá tapa em Chris Rock

6 de abril de 2022 - 18:06 - Atualizado em 6 de abril de 2022 - 18:26

LOS ANGELES (Reuters) – A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas antecipou para sexta-feira (8) sua reunião para discutir possíveis sanções contra o vencedor do Oscar de melhor ator Will Smith, que deu um tapa no comediante Chris Rock durante a cerimônia de premiação, segundo uma carta do presidente do grupo.

O conselho de diretores da organização, que distribui os Oscars, havia agendado anteriormente para o dia 18 de abril a discussão sobre o incidente na cerimônia do mês passado. Smith renunciou da academia na sexta-feira, e disse que vai aceitar as consequências que o grupo decidir que forem apropriadas.

Por conta da renúncia de Smith, a academia não precisa mais seguir o cronograma legalmente orientado para considerar o assunto, afirmou o presidente David Rubin em uma carta aos membros.

“É do melhor interesse de todos os envolvidos que isso seja conduzido no momento mais oportuno”, disse Rubin.

As ações possíveis poderiam tornar Smith inelegível a futuros prêmios ou ainda proibir sua participação em futuras cerimônias do Oscar.

Relembre o caso

No evento televisionado no dia 27 março, Smith caminhou até o comediante Rock no palco, que havia feito uma piada sobre a aparência da esposa de Smith, Jada Pinkett Smith, e então deu um tapa no rosto de Rock. Pinkett Smith, atriz e apresentadora de um talk show, tem uma condição médica que causa a queda de cabelos.

Menos de uma hora depois, Smith fez um discurso chorando no palco, ao aceitar o prêmio de melhor ator por seu papel no filme “King Richard – Criando Campeãs”. Após a cerimônia, ele foi visto dançando na festa anual da Vanity Fair.

(Reportagem de Lisa Richwine)