Energia

Como podemos prevenir um apagão de energia no Paraná

Entenda como o Paraná pode se prevenir de um possível apagão energético

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

22 de dezembro de 2020 - 13:42 - Atualizado em 21 de janeiro de 2021 - 18:09

Resumo da matéria

Recentemente o Brasil acompanhou o apagão no estado do Amapá, que foi considerado um dos maiores blackouts brasileiros. Foram três semanas de crise enegética e atingiu 13 dos 16 municípios amapaenses, incluindo a capital Macapá.

No Paraná, estado com mais de 10 milhões de habitantes, o projeto “Gralha Azul” busca prevenir um apagão como o que aconteceu em Amapá. A obra está sendo realizada desde o ano passado e vai gerar autonomia aos paranaenses para que um apagão não aconteça.

Com investimento sustentável, o sistema de transmissão Gralha Azul vai passar por 27 municípios paranaenses e terá 15 linhas de transmissão que irão fazer a ligação entre dez subestações de energia.

“O objetivo é trazer energia elétrica de Itaipu para a região de Ponta Grossa e interligar Curitiba.”

Contou Márcio Neves, dirigente do Sistema Gralha Azul.

Com a modernização, a expectativa é para um aumento de oferta de energia, possibilidades de novas indústrias instaladas e mais investimentos em tecnologia no campo.

“Esse sistema dá segurança ao sistema de transmissão, ao sistema de geração, que conecta ao sistema de distribuição e que chega para os consumidores.”

Afirmou diretor geral da Copel (Companhia Paranaense de Energia), Moacir Carlos Bertol.

Sistema de Transmissão Gralha Azul

O projeto ST Gralha Azul tem por objetivo o reforço do Sistema Interligado Nacional – SIN, melhorando o abastecimento de energia do Estado do Paraná. Essa é uma concessão federal que faz parte do plano de expansão do sistema de transmissão do país.

O projeto é oriundo de um estudo da Empresa de Pesquisa Energética – EPE, liderado pela ANEEL e pelo Ministério de Minas e Energia – MME, que estuda carências energéticas do setor elétrico. Realizado em 2016, esse estudo apontou que já em 2018 o estado enfrentaria uma grande dificuldade energética.

Essa carência pode ser percebida, ao longo dos últimos anos, principalmente no setor de agronegócios e industrial, que têm sofrido grandes oscilações e prejuízos.

Com o ST Gralha Azul em operação, além do reforço energético, que trará mais qualidade e maior oferta de energia ao Estado, as regiões na qual a oferta de energia era baixa, passarão a ser abastecidas e assim, a ter condições de atender às necessidades de indústrias e empreendimentos, trazendo novos negócios, geração de empregos e desenvolvimento para os municípios.

Ao todo, o Empreendimento é composto por 5 novas subestações, 5 ampliações de subestações existentes e 15 linhas de transmissão que totalizam aproximadamente 1.000 km de extensão. Além do suprimento de energia, o projeto trará impactos positivos à economia do Paraná, por meio da geração de oportunidades de emprego nas áreas de construção civil, saúde e segurança do trabalho, ambiental e do terceiro setor.

Ao todo, ao longo da implantação, serão cerca de 5000 postos de trabalho criados diretos, somando-se a isso os milhares de empregos indiretos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.