Energia

Obra promete estabilizar o fornecimento de energia no Paraná

Projeto Gralha Azul está sendo realizado desde o ano passado e vai gerar autonomia para que um apagão não aconteça

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Obra promete estabilizar o fornecimento de energia no Paraná
(Foto: Divulgação / Engie Brasil)

24 de janeiro de 2021 - 08:53 - Atualizado em 24 de janeiro de 2021 - 08:58

No final do ano passado, o Brasil acompanhou o apagão no estado do Amapá, que foi considerado um dos maiores blackouts brasileiros. Foram três semanas de crise energética e atingiu 13 dos 16 municípios amapaenses, incluindo a capital Macapá.

Para evitar o mesmo problema no Paraná, estado com mais de 10 milhões de habitantes, o Governo Federal autorizou a construção de uma linha de transmissão, que busca prevenir um apagão como o que aconteceu no Amapá.

Energia gerada pela Itaipu primeiro vai para São Paulo para depois voltar ao Paraná

Atualmente toda a energia que é produzida pelas turbinas da Itaipu, vai primeiro para o estado de São Paulo, e só depois volta aos consumidores paranaenses.

O Projeto Gralha Azul pretende fazer o caminho direto do oeste para o centro-sul e Campos Gerais do Paraná.

O presidente da Engie Brasil Energia, Eduardo Sattamini, que ganhou a licitação para a obra, é incisivo sobre a necessidade do novo sistema.

“Se a gente não fizer esse reforço, em algum momento, novas cargas vão gerar um colapso no sistema e aí um desabastecimento total“

alertou, Sattamini.

O sistema de transmissão Gralha Azul vai passar por 27 municípios paranaenses e terá 15 linhas de transmissão que irão fazer a ligação entre dez subestações de energia.