21 de outubro de 2021 - 09:17

Atualizado em 21 de outubro de 2021 - 09:18

O podcast cai no gosto da advocacia

Por Willian Bressan

O podcast cai no gosto da advocacia

O Brasil é o 5º país no ranking mundial de crescimento na produção de podcasts. Dos quase 100 milhões de brasileiros que consomem alguma forma de áudio digital, 28 milhões já declaram ouvir podcasts. Diferentemente dos vídeos, a mídia permite que o conteúdo seja consumido com atenção dividida em atividades rotineiras como dirigir ou praticar exercícios físicos.


O boom do podcast alcança também os escritórios de advocacia. Com dois episódios mensais, o Cléve Podcast, do escritório Clèmerson Merlin Clève Advogados Associados, trata de temas variados, da nova diápora afegã às mudanças na legislação tributária. Entre os convidados grandes nomes da cena jurídica brasileira, como o ex-ministro José Eduardo Cardozo e a presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros.


Na Farracha de Castro Advogados, os episódios mensais trazem entrevistas com os advogados sobre temas de sua área de atuação. Aspectos práticos do direito societário, questões tributárias, a guarda no direito de família, pensão alimentícia, efeitos da lei de recuperação judicial, prevenção de risco nos contratos, direito do consumidor na compra on-line são alguns dos temas já abordados.


“Essa ferramenta tem sido útil e interessante para debater o conhecimento na área do direito. Comemoramos o nosso primeiro ano de existência com um espaço independente, plural e com o único objetivo de aprofundar o estudo do Direito”, afirma Farracha.


“O aumento do interesse reforça nossa aposta neste segmento”, ressaltam os engenheiros Edward Schmitz e Jeferson Peres, fundadores da Escola do Podcast, que mantém uma comunidade com quase mil alunos, têm um e-book sobre o tema baixado 80 mil vezes e congregam mais de 10 mil seguidores no Youtube.


“A Academia do Podcast é uma comunidade fechada com curso avançado e reuniões semanais ao vivo para tirar dúvidas. Os alunos estão interessados em promover o crescimento de podcasts, em aumentar o engajamento com sua rede e em construir um modelo de negócio em torno do canal. Tudo isso é possível.”, explica Schmitz.