Educação

UFPR atrasa pagamento de auxílios aos estudantes e responsabiliza MEC

A UFPR encaminhou um comunicado oficial aos alunos informando que o Ministério da Educação (MEC) não fez o repasse da verba

Mônica
Mônica Ferreira / Estagiária
UFPR atrasa pagamento de auxílios aos estudantes e responsabiliza MEC
(Foto: AEN)

9 de fevereiro de 2022 - 15:06 - Atualizado em 9 de fevereiro de 2022 - 15:06

Os estudantes beneficiários de auxílios assistenciais da Universidade Federal do Paraná (UFPR) estão sem parte do subsídio devido a um atraso no pagamento no auxílio permanência, no valor de R$ 400. A instituição encaminhou um comunicado oficial aos alunos nesta terça-feira (8) informando que o Ministério da Educação (MEC) não fez o repasse da verba.

A UFPR oferece aos alunos com vulnerabilidade socioeconômica o auxílio moradia no valor de R$275 e o auxílio permanência de R$400. Os estudantes beneficiários dependem deste suporte para concluir a graduação.

A estudante de educação física Amanda dos Santos Oliveira, de 25 anos, recebe o auxílio desde que ingressou na instituição, em 2019. De acordo com a graduanda, o valor é totalmente responsável pela sua permanência na universidade.

Amanda era moradora de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, e sem conseguir arcar com os custos das passagens de ônibus, decidiu morar na Casa da Estudante Universitária de Curitiba (CEUC).

Tanto para mim quanto para qualquer ceuquiana, a bolsa é nossa única fonte de renda para passar o mês. Desde que entrei na UFPR, a bolsa nunca havia atrasado dessa forma, estamos desesperadas com essa notificação da PRAE (Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis),

contou.

Amanda recebe apenas o auxílio permanência e usa o valor para pagar o aluguel da casa e demais gastos com o curso. “Nem sempre dá pra pegar Intercampi, meu campus fica no politécnico, aí muitas vezes pagava passagem para assistir aulas”, disse.

A jovem ainda relata que com a possível volta das aulas presenciais e sem a bolsa, a sua continuidade no curso está comprometida.

“[…] sem a bolsa não tenho como pagar passagem, comprar máscaras, álcool em gel. Sem contar que com as medidas protetivas, os gastos com higienização aumentaram muito”,

desabafou a jovem.

De acordo com a estudante, no ‘desespero’ os estudantes optam por trabalhar, e o trabalho prejudica o andamento do curso.

A UFPR enviou uma nota ao portal, na qual informou que todas as 69 universidades federais não receberam o recurso do MEC. Ainda, a universidade afirmou que “tem indagado ao MEC, várias vezes ao dia, a respeito do atraso. No entanto, não houve retorno ou explicações por parte do ministério”.

Confira a nota na íntegra:

O pagamento do Auxílio Permanência, no valor de R$ 400,00, está atrasado dois dias por consequência do atraso do repasse de recursos por parte do Ministério da Educação (MEC) a todas as 69 universidades federais. Na UFPR, os alunos recebem o subsídio que, tradicionalmente, é pago até o quinto dia útil de cada mês. O MEC realizou uma parte do repasse, com a qual foi possível efetuar o pagamento dos demais auxílios oferecidos pela Universidade (moradia, creche, auxílio refeição emergencial e Promisaes), mas o montante relativo ao pagamento do Auxílio Permanência não chegou. Desde segunda-feira, a universidade tem indagado ao MEC, várias vezes ao dia, a respeito do atraso. No entanto, não houve retorno ou explicações por parte do ministério. Por esse motivo, ainda não há previsão para o pagamento do auxílio. Considerando que os estudantes afetados estão em vulnerabilidade socioeconômica, a UFPR lamenta profundamente a situação e está fazendo o possível para solucionar o caso.

O RIC Mais também entrou em contato com o MEC nesta terça-feira (8) e até o momento não obteve um posicionamento.

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais. Clique aqui e faça o portal com a gente!