Educação

Paraná: com alta de Covid, saiba quais universidades vão exigir passaporte vacinal

UEPG e UEM garantiram que a vacinação completa será exigida a alunos e funcionários; demais faculdades seguem analisando o cenário

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Paraná: com alta de Covid, saiba quais universidades vão exigir passaporte vacinal
(Foto: Reprodução/AEN)

6 de janeiro de 2022 - 16:31 - Atualizado em 12 de janeiro de 2022 - 18:32

Próximo do retorno das aulas nas principais universidades do Paraná, o RICMais fez um levantamento para saber como será a volta dos estudantes e quais instituições devem exigir o passaporte vacinal caso o retorno seja presencial.

Recentemente, um despacho do Ministério da Educação e Cultura (MEC) proibiu as instituições federais de ensino de cobrar vacinação contra a Covid de todo o público acadêmico. A decisão virou polêmica e objeto de discussão entre as universidades.

Outro ponto importante e que preocupa os alunos e pais é alta de casos de Covid-19 no estado. Até quarta-feira (5), o Paraná contabilizou 1.599.466 casos confirmados de Covid-19 e 40.679 mortes. Só na capital paranaense, 301.547 já testaram positivo para o novo coronavírus e 7.818 foram a óbito.

Saiba como será o retorno das seguintes universidades

Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Após ter se pronunciado afirmando que a obrigatoriedade da vacina contra a Covid seria avaliada, a UFPR informou nesta vai exigir o comprovante de vacina aos estudantes que retornarem às aulas. Além disso, a medida será válida a visitantes que tiverem acessos aos campos, espaços e equipamentos da universidade.

De acordo com a Universidade, o retorno das aulas presenciais está previsto para o dia 31 deste mês.

Universidade Positivo (UP)

A Universidade Positivo disse que as aulas estão previstas para começar em fevereiro. Porém, diante do cenário instável, afirmou que ainda não tem um posicionamento sobre o retorno do ensino presencial, nem em relação a obrigatoriedade da vacinação.

“Vamos acompanhar os órgãos responsáveis”,

afirmou a UP.

Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR)

A assessoria da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) informou que seguirá as determinações e orientações dadas pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O retorno 100% presencial está previsto para o dia 3 de março.

UniBrasil

A UniBrasil se posicionou garantindo que o Comitê de Prevenção de Doenças Infectocontagiosas está trabalhando em relação ao assunto e “está em contato estreito com os órgãos oficiais de saúde”. Porém, aguarda um posicionamento das entidades e “avalia a melhor maneira de exigir a vacinação de todos sem comprometer direitos e escolhas individuais”.

UniCuritiba

A assessoria da UniCuritiba informou que para 2022, a instituição ainda está avaliando a possível implementação de um controle de vacinados. Porém, reforça que a vacinação é um compromisso com a sociedade e, por isso, seguirá incentivando toda a comunidade acadêmica. A UniCuritiba também reforçou que segue atenta às normas gerais de prevenção a Covid-19 estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde, seguindo também os moldes propostos pelo Governo do Estado do Paraná e as regras estabelecidas por Curitiba.

Universidade Tuiuti do Paraná

A Tuiuti informou que o Conselho Universitário (CONSU) e o Comitê de Crises e Contigências da Universidade ainda estão decidindo sobre as decisões cabíveis e necessárias que vão tomar diante do contexto pandêmico.

“Sempre com o comprometimento na ciência e na segurança de todos os integrantes da Comunidade Tuiuti”, 

informou.

Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

O Conselho Universitário da UEPG garantiu que “toda a comunidade interna e externa que frequentar as dependências da Universidade” deverá apresentar o comprovante de “vacinação contra a Covid-19, com o ciclo vacinal completo”, além de manter as demais medidas de segurança.

Universidade Estadual de Maringá (UEM)

De acordo com a assessoria da UEM, a Resolução publicada em novembro de 2021 segue válida. Ou seja, haverá o passaporte vacinal. Isso porque o documento garante que “ao aluno ou servidor que não se ajustar ao plano de vacinação por decisão própria, sem motivação clínica que o justifique, estará sujeito às sanções disciplinares“.

Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Na UEL, as aulas presenciais serão retomadas no dia 24 de janeiro. Após analisar se adotaria o passaporte da vacina, exigindo assim, a vacinação completa de estudantes e funcionário, a Universidade informou que irá cobrar de estudantes, docentes e agentes universitários os comprovantes de vacinação contra a Covid-19.

A instituição ainda disponibilizou um questionário onde deve ser informado quantas doses foram tomadas e, se não foram recebidas, o motivo. O documento com as informações deve ser anexado até o dia 17 de janeiro, nos portais da universidade (Portal do Estudante de GraduaçãoPortal do Servidor e Portal da Pós-graduação).

Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)

Segundo a assessoria da Unioeste, as aulas presenciais da instituição voltaram parcialmente em 2021. Em 2022, a Universidade continuará o ano letivo de forma presencial. Questionada sobre a adoção do passaporte da vacina, a Unioeste informou que utilizará o aplicativo do Sistema Único de Saúde para monitorar os alunos que optaram por se vacinar, ou não.

Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

Após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter garantido a viabilidade jurídica da iniciativa do passaporte vacinal, a Reitoria da UNILA confirmou que entre as normas para ampliação das atividades presenciais na instituição estará a exigência da vacinação contra a Covid-19.

De acordo com a Instituição, o atendimento presencial nos setores administrativos está sendo retomado, de forma gradual, desde outubro. Em relação ao retorno presencial das atividades acadêmicas, a UNILA informou que está programado para março (pós-graduação) e abril (graduação).

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.