Educação

Com recordes de casos de Covid-19 em Londrina, UEL mantém retorno presencial

“A percepção é que não deveremos passar por uma situação dramática de quando não tínhamos vacina”, comenta o reitor

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Com recordes de casos de Covid-19 em Londrina, UEL mantém retorno presencial
(Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

14 de janeiro de 2022 - 16:18 - Atualizado em 14 de janeiro de 2022 - 16:18

No mesmo dia em que Londrina, no norte do Paraná, bateu recorde de casos ativos de Covid-19 (2.176), a Universidade Estadual de Londrina (UEL) decidiu por manter o retorno presencial a partir do dia 24 de janeiro. A medida foi tomada em reunião virtual com os representantes dos 44 colegiados de cursos, dos estudantes e Órgãos Suplementares, nesta quinta-feira (13).

De acordo com o reitor Décio Sabbatini Barbosa, mesmo com a superlotação nos postos de saúde, as internações por casos graves e mortes não têm aumentado.

“Isto não significa que não possa haver aumento de internações, mas a percepção é que não deveremos passar por uma situação dramática de quando não tínhamos vacina.”

destaca Sabbatini.

Como vai acontecer

A volta presencial à instituição vai acontecer de forma gradual, conforme determina a Resolução aprovada no dia 25 de novembro. O fluxo de estudantes deverá crescer a cada semana. No dia 24 de janeiro, 7.178 alunos retornarão. No dia 31, será a vez de mais 1412.

Já no dia 1º de fevereiro, outros 211 estudantes irão retornar.  O retorno deve ir acontecendo até o dia 7 de março, quando 100% dos acadêmicos devem estar presencialmente no câmpus. As semanas nas quais cada curso irá voltar estão disponíveis no Plano de Matriz Curricular.

“Fundamental que todos estejam vacinados e que entendam o sistema de vigilância interno, que é eficiente, mas só funciona se cada um souber a sua atribuição.”

destaca o reitor.

A volta dos estudantes e servidores ao câmpus universitário seguirá as normas previstas no Plano de Contingenciamento da Covid-19 da UEL. Caso alguém sinta um sintoma ou desconforto, deve comunicar as instâncias adequadas. Os estudantes, por exemplo, precisam avisar os colegiados dos cursos para que as medidas corretas sejam tomadas.

Mapeamento vacinal

A UEL solicitou aos servidores e acadêmicos que responsam a um questionário de mapeamento da situação vacinal da comunidade universitária. Além de informar quantas doses foram tomadas, ou, se não foram, o motivo, é preciso que o comprovante de vacina seja anexado ao portal. O processo dever ser feito até o dia 17 de janeiro.

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.