Educação

Secretário pede para que pais mandem filhos para escolas que já retornaram aulas presenciais: “Por favor”

Renato Feder destacou o prejuízo para os estudantes que estão longe das salas de aula há mais um ano

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da rádio Jovem Pan
Secretário pede para que pais mandem filhos para escolas que já retornaram aulas presenciais: “Por favor”
(FOTO: GERALDO BUBNIAK/ AEN)

10 de maio de 2021 - 10:50 - Atualizado em 10 de maio de 2021 - 10:50

Durante entrevista à rádio Jovem Pan, na manhã desta segunda-feira (10), o secretário de Estado da Educação, Renato Feder, pediu para que os pais, que possuem filhos matriculados em escolas que já retomaram as aulas presenciais, mandem os estudantes para as instituições. De acordo com Feder, os colégios estão seguindo protocolos rígidos de segurança.

“A qualidade da aula virtual era boa, mas vamos ter prejuízos. Não temos um minuto a perder. Estamos preocupados com alunos que podem abandonar as escolas para sempre. No Paraná temos um estado organizado que podemos verificar tudo que os alunos fizeram durante esse período da pandemia. Estamos abrindo aulas de reforço no contraturno […] Queremos receber os filhos, por favor levem os filhos”,

comentou Feder.

O secretário ainda utilizou dados de outros estados que tiveram o retorno das aulas antes, para garantir o baixo risco aos estudantes. 

“Santa Catarina e São Paulo apresentaram dados que não aumentaram os casos da pandemia. A escola é muito mais segura que vários ambientes abertos, como shoppings, restaurantes e praças. Lá todos estão de máscara obrigatoriamente. Então pedimos aos pais que levem seus filhos a escola”,

reforçou o secretário.

Nesta segunda-feira (10), o Paraná se tornou o oitavo estado brasileiro a retornar às aulas presenciais, na rede pública. Ao todo, cerca de 100 mil alunos, de 206 instituições, em 72 cidades paranaenses, foram autorizados ao retorno após análise de três critérios do governo estadual.

O primeiro deles é o acompanhamento das cidades onde houve retorno das redes municipais de ensino e do transporte escolar. Além disso, são priorizadas as instituições de ensino onde há alunos em situação de vulnerabilidade e sem acesso a equipamentos digitais para realizar as atividades remotas. Outro critério é a análise de colégios com maior número de professores fora do grupo de risco.

Risco de greve

Ao ser questionado sobre a possibilidade de greve, por parte do sindicato, Renato Feder pontuou que, nesta manhã, não houve ocorrência nas 206 escolas que retornaram. 

“A gente não está vendo esse movimento na rede. Estamos recebendo bastante apoio da rede entendendo a necessidade que precisamos voltar. Agora é garantir a segurança de todos que estão na escola e trabalhar”,

comentou o secretário.

Para este retorno, profissionais da educação foram incluídos no grupo de prioridade e, segundo Feder, alguns já podem receber a vacina contra a covid-19.

Confira a entrevista completa com o secretário Renato Feder: