Educação

Abertas inscrições para 20 mil vagas em cursos técnicos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

8 de maio de 2012 - 00:00 - Atualizado em 8 de maio de 2012 - 00:00

Quem terminou o ensino médio e quer se profissionalizar tem a oportunidade de escolher entre 43 cursos, ofertados pela Secretaria Estadual da Educação do Paraná. São cerca de 20 mil vagas, em 562 turmas, distribuídas em 170 municípios. As inscrições estão abertas até dia 25 de maio e as aulas começam no segundo semestre.

Os cursos são na modalidade subsequente, relativa aos cursos técnicos, e na formação de Docentes (antigo magistério). Os da modalidade subsequente têm duração de um a dois anos. A listagem completa está disponível no site www.educacao.pr.gov.br, na opção serviços. Os nomes dos alunos pré-classificados para a fase de entrevista serão divulgados em 4 de junho, e os classificados, em 22 de junho. As matrículas, de acordo com o número de vagas, será feita de 25 de junho a 4 de julho.

Avanço – Outras 18,7 mil vagas são ofertadas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A Secretaria da Educação firmou parceria com o Instituto Federal do Paraná (IFPR), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), para expandir as oportunidades de profissionalização de jovens e adultos.

Essa parceria oferta mais 12,7 mil vagas nos cursos de qualificação profissional, com duração de 160 horas e outras 6 mil vagas aos cursos técnicos concomitantes ao ensino médio, com duração de dois a três anos. Informações sobre vagas e inscrições estão disponíveis no site www.pronatec.pr.gov.br.

O vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, conseguiu a liberação de verbas do Programa Brasil Profissionalizado, que estavam paradas desde 2008. Com isso, mais nove Centros Estaduais de Educação Profissional (CEEPs) estão em fase de construção. “Os cursos ofertados atendem às demandas das diversas regiões do Estado. Os jovens passam a ter oportunidades melhores de empregabilidade e isso diminui a evasão escolar”, destacou Arns.