Economia

Vale prevê manter capacidade em 343 mi t/ano de minério de ferro em boa parte de 2022

Reuters
Reuters
Vale prevê manter capacidade em 343 mi t/ano de minério de ferro em boa parte de 2022
Logo da Vale em Brumadinho

29 de outubro de 2021 - 15:52 - Atualizado em 29 de outubro de 2021 - 15:55

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A mineradora Vale prevê passar grande parte de 2022 com capacidade anual de produção de 343 milhões de toneladas de minério de ferro, patamar que deve ser atingido ainda em 2021, disse nesta sexta-feira o vice-presidente de Ferrosos, Marcello Spinelli, pontuando que a previsão de produção efetiva para 2022 ainda será anunciada.

Atualmente, a empresa opera com uma capacidade de produção de 341 milhões de toneladas, bem próxima de atingir a meta para este ano.

“Os próximos aumentos de capacidade em volume vão acontecer mais ao final do ano que vem, principalmente Torto e Gelado que entram na segunda metade do ano”, disse Spinelli, durante teleconferência com analistas e investidores sobre os resultados do terceiro trimestre.

“Então nós vamos rodar o ano com capacidade, em volume, na casa de 343 milhões de toneladas, boa parte dele.”

Para este ano, a empresa manteve sua meta de produção no intervalo entre 315-335 milhões de toneladas, sendo que a mineradora adiantou que o volume deverá ficar “abaixo do meio do intervalo” previsto.

O detalhamento dentro do intervalo ocorre diante da estratégia de priorizar valor sobre volume, principalmente diante do recuo dos preços do minério observados ao longo do último trimestre.

Dessa forma, para o quarto trimestre, a Vale informou anteriormente que deverá reduzir sua oferta de produtos de alta sílica e baixa margem em cerca de 4 milhões de toneladas, como resultado de uma estratégia de maximização de margens, uma vez que a demanda por esse tipo de produto tem sido mais fraca.

Spinelli reiterou que dependendo das condições de mercado para produtos de alta sílica, a empresa poderá reduzir também em 2022 a oferta de produtos de baixa margem em cerca de 12-15 milhões de toneladas.

Também durante a teleconferência, o vice-presidente Executivo de Finanças e Relações com Investidores, Luciano Siani, disse que a meta da empresa para a dívida líquida expandida é de 15 bilhões de dólares.

No fim do terceiro trimestre, esse indicador estava em 13,881 bilhões de dólares.

(Por Marta Nogueira)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9S12R-BASEIMAGE