Economia

Pesquisa feita pela UEPG aponta queda no preço da banana em abril

O estudo foi feito com base nas análises das compras on-line no período dos levantamento

Guilherme
Guilherme Fortunato / Editor com informações da UEPG
Pesquisa feita pela UEPG aponta queda no preço da banana em abril
Foto: Aline Jasper

7 de maio de 2021 - 16:12 - Atualizado em 7 de maio de 2021 - 16:12

De acordo com um estudo realizado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o preço da banana registrou queda de 38,84% na cidade. Os valores são referentes à comparação entre a primeira semana de abril e de maio. 

Segundo o levantamento da UEPG, no período de estudo, a cesta básica apresentou queda de 0,21% e passou a custar R$670,39 para a população, número que representa 64,15% do salário mínimo. 

A pesquisa avalia o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias de Ponta Grossa, com média de três integrantes e com renda de um a cinco salários mínimos. De acordo com o levantamento, dos 33 produtos que compõem a cesta básica, 17 tiveram alta nos preços e 16 apresentaram queda. Para famílias de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, a aquisição da cesta básica despende, respectivamente, de 32,08%; 21,38%; 16,04%; e 12,83% de sua renda. 

A carne registrou o maior aumento de preço, com alta de 7,98%, aponta a pesquisa. A carne de frango teve a maior variação negativa, aproximadamente 3,54%. Outro grupo que registrou alta de preço foi o “Higiene”, com aumento de 1,38%, sendo o sabonete com maior variação negativa, com 5,99%. 

O produto com maior queda no preço é a cebola, com 14,38%. O grupo de “Hortifrutigranjeiros” registrou queda de 6,59%. Entre os produtos de alimentação geral o arroz foi o que apresentou a maior baixa, 8,51%, de acordo com o estudo do Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Nerepp-UEPG). 

O estudo foi feito com base nas análises das compras on-line no período dos levantamentos. Os dados são retirados de acordo com os preços das compras e também são analisados os números da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) de 2016.