Economia

Pacheco, Lira e Guedes concordam em prever limite para despesa com precatórios em PEC

A conta de precatórios para 2022 é de R$ 90 bilhões

Reuters
Reuters
Pacheco, Lira e Guedes concordam em prever limite para despesa com precatórios em PEC
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, fala durante entrevista coletiva de imprensa no Congresso Nacional, em Brasília

21 de setembro de 2021 - 13:40 - Atualizado em 21 de setembro de 2021 - 13:49

BRASÍLIA (Reuters) – A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para resolver o problema dos precatórios no Orçamento do ano que vem preverá uma limitação do crescimento dessas despesas pela mesma dinâmica da regra do teto de gastos, indicou nesta terça-feira (21) o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ele disse que, pela regra, serão pagos cerca de R$ 40 bilhões em precatórios no ano que vem.

Como a conta de precatórios para 2022 é de R$ 90 bilhões, restarão R$ 50 bilhões que, segundo o presidente do Senado, poderão ser tratados via “negócios jurídicos” previstos na PEC.

Ele citou como exemplo a possibilidade de encontro de contas com Estados e negociações com credores, caminhos que permitirão dar solução a esse saldo de precatórios não pagos já em 2022.

(Por Marcela Ayres)