Economia

Contratos futuros de carvão perdem força na China

Reuters
Reuters

8 de setembro de 2021 - 08:35 - Atualizado em 8 de setembro de 2021 - 08:35

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) – Os contratos futuros do carvão metalúrgico e do coque da China oscilaram entre ganhos e perdas nesta quarta-feira, depois que o regulador do mercado anunciou um aumento nas taxas de transação para contratos ativamente negociados.

A Bolsa de Commodity de Dalian, na China, divulgou na terça-feira um aviso sobre aumento nas taxas para os contratos outubro, novembro, dezembro e janeiro, a partir das negociações da noite de quarta-feira.

O carvão metalúrgico mais negociado para janeiro,, encerrou as negociações do dia com alta 0,3%, a 2.855 iuanes (441,78 dólares) a tonelada, após um avanço de 15,7% nos últimos cinco pregões.

O coque de janeiro subiu 0,8%, para 3.594 iuanes por tonelada, subindo pela oitava sessão, mas ficou abaixo do recorde registrado na terça-feira.

A oferta restrita de carvão metalúrgico na China, que proibiu o produto da Austrália e é afetada pela fraca produção das minas locais devido a restrições ambientais e de segurança, impulsionou a alta nos preços dos ingredientes siderúrgicos.

As preocupações com o fornecimento se intensificaram com as restrições da Covid-19 que prejudicaram os embarques de carvão da Mongólia.

“A forte demanda doméstica de carvão e a oferta mais restrita na China devem abrir caminho para mais importações para reabastecer os estoques”, disseram analistas do ANZ em nota.

O minério de ferro de Dalian para janeiro subiu 0,1%, para 747 iuanes (115,59 dólares) a tonelada, mas o contrato mais ativo de outubro do insumo de aço na Bolsa de Cingapura tinha queda acentuada de cerca de 4%.