Economia

Comércio paranaense deve ter o melhor Natal dos últimos 7 anos, diz pesquisa

De acordo com uma pesquisa realizada pela Fecomércio, 82,3% dos paranaenses entrevistados que pretendem presentear neste fim de ano, diferente dos anos anteriores

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Comércio paranaense deve ter o melhor Natal dos últimos 7 anos, diz pesquisa
Comércio paranaense deve ter o melhor Natal dos últimos 7 anos, diz pesquisa (Foto: Ari Dias/AEN)

30 de novembro de 2021 - 15:56 - Atualizado em 30 de novembro de 2021 - 15:56

O Natal de 2021 deve ser o melhor dos últimos 7 anos para os comerciantes, é o que diz uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio/PR) e publicada nesta terça-feira (30).

De acordo com os dados divulgados, 82,3% dos paranaenses entrevistados pela Fecomércio afirmaram que pretendem presentear neste fim de ano. Comparado a anos anteriores, este é o segundo maior percentual da série histórica da pesquisa, somente superado em 2014, quando 90,6% dos entrevistados manifestaram sua intenção de compras de presentes natalinos.

Ainda segundo a pesquisa, dos 17,7% dos entrevistados que não têm intenção de presentear ou ainda não sabem, os principais motivos são problemas financeiros ou o desemprego, com 45,2%. Já em relação ao fator que mais influencia na decisão de compra do presente, a concessão de descontos e promoções é responsável por 42,9%, seguida pela qualidade do produto, em segundo lugar por 21,8% dos paranaenses. O preço baixo também é importante para 19,4%.

(Foto: Reprodução/Fecomércio)

A sondagem ainda apontou que os consumidores estão cada vez mais informados antes de realizarem suas compras e 91,4% realizam pesquisa de preço, sendo que a maioria (74,4%) faz isso pela internet, o que revela que mesmo para os estabelecimentos com operações exclusivamente físicas, a presença digital é fundamental.

Cenários levantados pela Fecomércio

Tipo de presentes

  • Roupas (70,2%);
  • Brinquedos (45,7%);
  • Calçados (36,7%);
  • Artigos de perfumaria (32,2%)

São os produtos mais comprados nesta época do ano.

Valor do presente

  • 45,3% pretende gastar entre R$ 201,00 e R$ 500,00;
  • 9,7% são os que pretendem gastar até R$100,00;
  • 18,3% são os que planejam gastar entre R$101,00 a R$200,00;
  • 20,8% são os que desembolsarão de R$501,00 a R$1.000,00.
  • 5,9% afirmam que vão gastar mais de R$1.000,00 na compra de presentes.

De modo geral, a sondagem verifica que haverá aumento de 5,9% no tíquete médio do presente, que passou de R$410,63 em 2020 para R$434,95 em 2021, sendo este crescimento explicado pelo aumento de preços causado pela inflação.

Local das compras

O local de compra preferido continua sendo o comércio de rua tradicional, que somando lojas do centro da cidade (52,9%) e lojas de bairro (15,6%), deve receber 68,5% do fluxo de consumidores. Entretanto, o comércio on-line registrou o maior índice da série histórica, com 58,1% das menções, o que reflete a mudança nos padrões de consumo da população, que migrou muitas de suas compras para o ambiente virtual durante a pandemia e se acostumou com tais facilidades. As lojas de shopping também devem ter grande procura e foram citadas por 42,9% dos entrevistados.

Período das compras

A segunda quinzena de dezembro deve ser o período mais movimentado. A maioria dos consumidores realizará suas compras uma semana antes (41,2%) ou 15 dias antes do Natal (38,8%). Há também aqueles que deixarão para comprar os presentes apenas na véspera, com 4,2%. Por outro lado, há pessoas que preferem começar o ritual de compras natalinas com bastante antecedência, um mês antes (14,5%) ou mais de um mês antes (1,4%).

Formas de pagamento

A forma de pagamento mudou este ano: a preferência será pelo pagamento no cartão de crédito, parcelado ou no vencimento (50,5%), superando o pagamento à vista no cartão de débito, no dinheiro ou no Pix (48,8%).

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.