Notícias

Irmão de homem decapitado pode ter morrido por engano em fevereiro

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

17 de outubro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 17 de outubro de 2018 - 00:00

Homem foi encontrado morto sem a cabeça em Colombo (Reprodução/RICTV)

Homem pode ter sido morto por engano em fevereiro no lugar do irmão

O irmão do homem decapitado encontrado morto sem a cabeça em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), na terça-feira (16), pode ter sido morto por engano em fevereiro deste ano, de acordo com investigações da Polícia Civil.

Homem morto por engano

Edivaldo Dias, encontrado morto, teve o irmão Rubens assassinado em fevereiro. À época dos fatos, Edivaldo chegou a comentar que o irmão morreu por suposta briga com os cunhados.

A polícia desconfia que Edivaldo era pra ter sido morto em fevereiro. Já o pai das vítimas acredita que a ex-namorada de Edivaldo está por trás dos crimes. “Eu não sei contar porque a gente nunca via nada”, diz o pai abalado com a tragédia e perda dos dois filhos.

No dia do crime, Edivaldo estava dormindo na casa do pai quando recebeu um telefonema, saiu e não foi mais visto com vida.

Homem decapitado em Colombo

O homem decapitado em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, foi identificado ainda no início da noite, após um exame de impressões digitais, como Edivaldo Dias, de 37 anos. O corpo da vítima foi sepultado nesta quarta-feira (17), às 10h30, e a família vai decidir como quer proceder com parte encontrada.

Nesta quarta-feira (17), a cabeça foi encontrada em uma região próxima de onde o corpo foi localizado em Morro Grande. Edivaldo foi encontrada sem camiseta, de calça jeans e tênis.

Assista à reportagem completa sobre o homem decapitado em Colombo:

O repórter Tiago Silva, da RICTV Curitiba, traz todos os detalhes desse caso macabro ocorrido na região de Curitiba. Veja!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.