Cotidiano

Linha metropolitana de Colombo fará integração na Estação Fagundes Varela a partir deste sábado (4)

Com a alteração, a linha B42 também passa a ter ponto final na Estação PUC e não mais na Estação Fanny

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Linha metropolitana de Colombo fará integração na Estação Fagundes Varela a partir deste sábado (4)
(Foto: Hully Paiva/SMCS)

3 de setembro de 2021 - 15:42 - Atualizado em 3 de setembro de 2021 - 15:42

A linha metropolitana B42 Maracanã/Linha Verde vai fazer integração, a partir do próximo sábado (4), na estação-tubo Fagundes Varela. Essa é a quarta linha a passar pela estação, que já recebe o novo Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho e os ônibus Hugo Lange e Colina Verde. A estação-tubo Fagundes Varela foi implantada como parte da conclusão de mais uma etapa da Linha Verde Norte.

A novidade deve atender cerca de três mil usuários, nos dias úteis, da linha B42, que liga Colombo a Curitiba. Vai proporcionar integração nos terminais Bairro Alto e Cabral, bem como ao Centro pelo Alto da Rua XV. Além disso, vai possibilitar a integração com o Terminal Pinheirinho, com o Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho, pagando uma passagem.

A partir da integração com a Fagundes Varela, o passageiro metropolitano poderá utilizar toda a RIT (Rede Integrada de Transporte).

“Estamos ampliando as oportunidades de integração para mais uma linha metropolitana. Esse é um do ganhos da conclusão de mais uma etapa da Linha Verde Norte, que permitiu a colocação de uma nova estação-tubo e ainda a implantação do novo Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs. 

Com a alteração, a linha B42 também passa a ter ponto final na Estação PUC e não mais na Estação Fanny. Nela, será possível integrar com os terminais Portão e Oficinas através da linha 050 Interbairros V.

A B42 opera com cinco veículos com porta em ambos os lados, sendo em rampa do lado esquerdo para atender a estação Fagundes Varela.

Segundo a Prefeitura de Curitiba, a ampliação da integração será possível “graças a uma parceria entre a Urbanização de Curitiba (Urbs), que administrada o transporte coletivo na capital, e a Coodernação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), responsável pelo transporte metropolitano.”