Cotidiano

Jô Soares perdoou taxista que matou sua mãe na década de 1960

Jô foi pego de surpresa com a revelação do taxista, mas perdoou e chorou junto com o motorista

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do UOL
Jô Soares perdoou taxista que matou sua mãe na década de 1960
Jô Soares morreu aos 84 anos em São Paulo. (Foto: Reprodução / TV Cultura)

5 de agosto de 2022 - 21:31 - Atualizado em 5 de agosto de 2022 - 21:32

O apresentador Jô soares, que morreu nesta sexta-feira (05) aos 84 anos, perdeu sua mãe na década de 1960. Mercedes Leal foi atropelada aos 70 anos, chegou a socorrida, mas não resistiu. Dez anos depois, Jô encontrou o taxista que atropelou Mercedes e o perdoou pelo acidente.

Jô tinha 30 anos quando o atropelamento de sua mãe aconteceu. Conforme divulgou o portal UOL, Jô só colocou o assunto do perdão a público em 2015, quando concedeu uma entrevista ao músico Marcelo Bonfá. Ele contou que pegou um táxi no aeroporto Santos Dumond. Quando chegou em casa, o taxista lhe disse:

“Eu preciso dizer uma coisa para o senhor. Fui eu que atropelei sua mãe. E desde esse dia, isso já faz dez anos, eu não consigo mais dormir. Só vou conseguir dormir no dia que o senhor me disser que me perdoa”,

relatou Jô.

O mais impressionante foi a reação do apresentador, que respondeu ao pedido do taxista:

“Mas, meu filho, você está perdoado desde o dia que pegou a minha mãe, socorreu e ficou ao lado do meu pai até a minha mãe morrer. Você não teve culpa nenhuma. Eu te perdoo, você está mais que perdoado. Vai em paz.’. Ele chorava e eu chorei muito também. O perdão para mim é a coisa mais importante no cristianismo”,.

disse o apresentador e humorista.

Jô Soares explicou na extrevista, conforme o UOL, que o dia em que o acidente ocorreu chovia muiro e o taxista não teve culpa. O motorista socorreu Mercedes e ficou com ela até o fim. A fratura de crânio era muito grave e Mercedes não resistiu.