Comportamento

‘Me senti pior sendo traído do que quando recebi o diagnóstico de câncer’, diz sobrevivente

Para Tom Garrod, receber a notícia de que tinha três meses de vida foi pior do que ter o coração partido

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do MyLondon
‘Me senti pior sendo traído do que quando recebi o diagnóstico de câncer’, diz sobrevivente
'Me senti pior sendo traído do que quando recebi o diagnóstico de câncer', diz sobrevivente (Foto: Reprodução)

26 de novembro de 2021 - 20:31 - Atualizado em 26 de novembro de 2021 - 20:31

Tom Garrod, de 44 anos, é um sobrevivente que venceu a luta contra o câncer. Entretanto, a sorte do homem parou por aí, pois ao sair do hospital descobriu que sua namorada estava o traindo. Nascido em Londres, o sobrevivente chegou a receber a notícia de que tinha apenas três meses de vida depois de ser diagnosticado com câncer testicular agressivo em estágio quatro, em 2004.

Os médicos lhe contaram notícias angustiantes, mas se recusando a desistir, ele rapidamente se submeteu a um tratamento de quimioterapia. Apesar dos dias terríveis enfrentados, Tom disse em entrevista ao MyLondon que ter o coração partido foi pior do que ouvir que seu tempo estava quase acabando.

Segundo o Garrod, um certo dia ao voltar para o seu apartamento, acabou testemunhando sua namorada o traindo. Ele tentou tirar a própria vida pela segunda vez em apenas um ano.

“Eu me senti tão chocado. Sinceramente, me senti pior sendo traído do que quando recebi o diagnóstico de câncer. Eu descobri que isso estava acontecendo o tempo todo. O câncer estava fora do meu controle, mas com isso eu ficava pensando, ‘fui eu?’, Eu fiz algo errado?”,

contou o homem.

Ainda de acordo com o desabafo do homem, após descobrir a traição, ele decidiu morar com a irmã e logo em seguida começou a beber e a fumar muito, mesmo que isso não seja adequado para uma pessoa recém curada de um câncer. Mas, segundo ele, “simplesmente não queria ficar aqui”.

“Foi uma época muito sombria e eu estava constantemente para baixo e deprimido”,

disse o homem.

Uma nova vida

A onda de sofrimento de Tom se encerrou em um dia em que ele estava em um parapeito e pensou “chega, já chega”. Após essa decisão, o homem encontrou o amor novamente com a nova namorada, Naheed. Ele diz que ainda se lembra de como se sentia isolado quando estava fazendo o tratamento do câncer.

“Você nunca sabe o que as outras pessoas estão passando. Basta ser legal com as pessoas porque você não sabe o que as outras pessoas estão passando. Mas todos estão neste mundo por uma razão. Ainda tenho dias ruins e ainda me sinto mal algumas vezes, mas acho que é o mesmo para a maioria das pessoas”,

afirmou Tom.