Comportamento

Irmãos que são casados e têm 4 filhos lutam para legalizar incesto

Os dois não foram criados juntos e por isso alegam que com eles a situação é diferente

Carol
Carol Machado / Produtora
Irmãos que são casados e têm 4 filhos lutam para legalizar incesto
Irmãos que são casados e têm 4 filhos lutam para legalizar incesto (Foto: reprodução)

2 de maio de 2022 - 14:44 - Atualizado em 2 de maio de 2022 - 14:44

Dois irmãos se apaixonaram e tiveram quatro filhos juntos estão pedindo o fim das leis que proíbem o casamento incestuoso.

Patrick Syuebing, de 44 anos, foi adotado na infância e não conheceu sua irmã biológica, Susan Karolweski, de 37 anos. Ele encontrou a família biológica somente quando tinha 20 anos. Um mês depois de encontrar a família, ele a irmã começaram se relacionar. Os dois afirmam que no inicio do relacionamento não sabiam que estavam fazendo algo ilegal.

“A gente nem sabia que estava fazendo algo errado quando começamos a dormir juntos. Não pensamos em usar camisinha. Não sabíamos que era ilegal dormir juntos.

Susan diz que não acha estranho o relacionamento, pois eles não foram criados juntos.

“Nós não nos conhecemos na infância, não é o mesmo para nós”, disse Susan.

O casal teve quatro filhos entre 2001 e 2005, devido a genética, duas crianças nasceram com deficiência. O primeiro filho nasceu quando Susan tinha apenas 16 anos. Patrick nega que a deficiência dos filhos seja por conta do parentesco que o casal tem.

“Dois de nossos filhos são deficientes. Mas isso não tem necessariamente a ver com o fato de sermos irmãos”,

disse Stuebing.

A família dos irmãos sempre foi conturbada, o pai deles quase matou Patrick com uma faca quando ele ainda tinha 3 anos, o que o fez perder a guarda do filho e com isso Patrick foi parar em um orfanato. Já Susan permaneceu com os pais biológicos, sendo constantemente negligenciada.

Os dois foram julgados por incesto em 2002. Stuebing recebeu pena de um ano depois de ser considerado culpado de todas as acusações. Susan, na época, ainda era menor de idade e foi colocada sob os cuidados de serviços para jovens.

Após o nascimento dos outros filhos, Patrick recebeu mais dez meses de prisão. Em 2005 Stuebing foi condenado a dois anos e meio por reincidência de incesto.

Em 2012, o casal levou o caso ao Tribunal de Direitos Humanos pedido para que a Alemanha legalizasse o sexo entre parentes assim como outros países, como Japão, França e Turquia. Contudo, eles perderam o caso. Contudo, o casal continua junto até hoje.

*As informações são do Daily Mail

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.