O  tema de nosso artigo de hoje é Nomofobia e a sociedade digital. Você olha os dispositivos que conectam a internet de 15 em 15 minutos por dia? Qualquer momento que você está sozinho ou sem nada para fazer já pega o celular, tablet ou noteboo ? Passa mais tempo de sua vida nas redes sociais, WhatsApp, e outros apps? 

Então sinto te dizer  que você sofre de uma enfermidade moderna chamada Nomofobia que é  o medo irracional de estar sem dispositivos móveis que conectam a internet .  

Vamos supor que você prefere ficar no celular ao invés de sair com os amigos, prefere ficar na internet ao invés de estar com a sua família, acha que conhecer pessoas para namorar é melhor pelo app, ou não consegue esperar sem pegar o celular.  É provado cientificamente que na dependência o indivíduo começa apresentar problemas de concentração, solidão e de sociabilidade

  gravidade dessa doença moderna está aumentando a ponto de cientistas norte americanos fazerem uma pesquisa que perguntava para um grupo de adultos entre 34-43 anos se eles prefeririam ter um dedo quebrado ou ver seu celular destruído a marteladas. A resposta foi automática: Prefiro que destruam meu celular do que quebrado. Já com jovens entre 16-25 anos foi bem interessante a resposta. Alguns disseram preferir ver o celular destruído do que ter um dedo quebrado e outros que preferiam ver um dedo quebrado a destruírem o celular. Um dado muito interessante é que no grupo da faixa etária entre 16-25 anos pararam alguns minutos para dar a resposta. Isso indica que algo está muito errado.

Com relação às redes sociais podemos dizer que precisamos interpretar que elas tem fatores positivos no que diz respeito a comunicação, troca de informações, postagens de fotos de momentos felizes ou de comunicação entre as pessoas ou  entre marcas e futuros clientes e clientes de uma marca que representam um produto ou serviço. Entretanto precisamos tomar cuidado com modinhas digitais, hábitos de publicação de informações de sua privacidade, uso e compartilhamento de hashtags, compartilhamento de sua geolocalização apps que envelhecem e não cair em desafios tipo o famoso e letal Baleia Azul. No caso dos dados a gente nunca sabe se seus dados captados por Big Data através de redes sociais serão repassados para clientes desde uma empresa que você possa ser um(a) consumidor(a) em potencial, partidos políticos interessados em traçar um perfil de eleitores ou mesmo serviços secretos de países, Interpol e departamentos alfandegários sem sua permissão. 

 Outro ponto a ser abordado é o mundo virtual e o mundo real que as pessoas criam nas redes sociais. Pessoas tristes e solitárias passam nas redes sociais impressão como se sempre estivessem felizes e esperam comentários que criem uma ilusão que ganhando um comentário positivo terão mais valor. 

Não tomem esse artigo como uma narrativa contra a utilização do uso da internet, smartphones ou de apps, eu também uso e isso faz parte da nossa sociedade global. O que estou chamando atenção aqui é  o excesso da utilização de dispositivos móveis, além de armadilhas que podemos cair ao aceitarmos qualquer cláusula para baixar um app ou utilizar algo que te oferecem dentro dos apps e que pode alimentar Big Datas que expõe sua vida para quem você jamais permitiria.  As redes sociais entraram de vez em nossas vidas e pelo lado positivo nos proporcionaram mais uma forma de nos comunicarmos, expressarmos nossas opiniões sobre tudo, trouxe a comunicação para todos, revolucionou nossa forma de consumir e é tão importante que revolucionou as campanhas políticas permitindo que candidatos e políticos ganhem eleições  mantendo comunicação direta com a população podendo ser diretamente questionados. O maior exemplo disso é o case de nosso presidente Jair Bolsonaro que teve e tem as redes sociais como seu maior aliado. A mídia esquerdista,os políticos com ideologia esquerdistas e aqueles do centrão que só ligam para o próprio bolso estão até agora sem entender muito bem essa forma de se comunicar com o eleitor. A mídia tradicional esquerdista fez de tudo para Haddad ganhar as eleições presidenciais em 2018 e fracassou. Agora se juntou com a oposição e o corporativismo do judiciário para produzirem uma CPI das Fake News com o objetivo de nos calarem através das redes sociais. De qualquer forma tome cuidado com os exceções e um viva a revolução que as redes sociais trouxeram para nossas vidas.

Assistam um trecho da animação do cineasta Steve Cutts que traduz um pouco do nosso comportamento no mundo real e virtual.

Régis Rothfilber

Régis Rothfilber

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista