Estamos acompanhando dede agosto o trágico caso de derramamento de óleo que atinge mais de 2.500 quilômetros do litoral nordestino.  Como o grande público está acompanhando via mídias tradicionais, a biodiversidade marítima e o sustento de milhões de famílias que dependem do turismo para que a engrenagem da economia nordestina gire estão gravemente prejudicadas. Todos foram mobilizados, órgãos municipais, estaduais, federais, forças armadas, departamentos de  pesquisa, especialistas em desastres ambientais de outras nações,defesa civil e sociedade para ajudar a limpar as praias, salvar a vida marinha, tentar descobrir como isso aconteceu e punir os culpados.

No caso das investigações para descobrir quem causou o desastre ambiental e punir os culpados, as inteligências do governo brasileiro, Polícia Federal e Interpol foram acionadas.  Claro que os aliados midiáticos da esquerda brasileira, trabalharam e ainda trabalham fortemente para vender a narrativa que o governo federal não estava tomando providências e não teria acionado o plano nacional de contingência ambiental. Tivemos até casos de membros do MP do Sergipe que entraram com medidas de segurança contra a união pedindo uma solução do caso dos vazamentos de óleo em 48 horas senão seriam duramente multados. Aí vem uma questão muito interessante.  Os governadores dos nove estados do nordeste se dividem em PT, PCdoB, PSB e PDT. Para quem é bom entendedor, isso já basta para entender que existiram manobras para dificultar o governo federal de pôr em prática as medidas necessárias. De qualquer forma como sabemos essas manobras da esquerda não tiveram sucesso, mas a esquerdomídia deitou e rolou para denegrir o governo federal.

  Com base nos dados acima, temos que prestar atenção no que realmente está  acontecendo nesse caso dos vazamentos de óleo. Minha teoria baseada em análises das entrelinhas de tudo que aconteceu é: estamos sendo atacados por operações determinadas pelo Foro de SP aplicando ações terroristas contra o Brasil e América do Sul com o objetivo de desestabilizar os governos democraticamentes eleitos de posições de direita e centro direita. E não estou disseminando teoria da conspiração.

Pensem no caso do Brasil, primeiro as queimadas na Amazônia e a difamação por parte da esquerda internacional ao governo Bolsonaro. Agora magicamente petróleo Venezuelano sendo despejado em águas internacionais em coordenadas geográficas com correntes marítimas que passam por todo nordeste brasileiro trazendo um mega prejuízo para nosso país por um suposto navio petroleiro Grego que enfrenta processo por ter envolvimento em operações delatadas pelo ex-diretor de Refino da Petrobrás, Paulo Roberto Costa no Petrolão, Maduro no meio de outubro/2019 afirmando em rede nacional de seu país que as operações determinadas pelo Foro de SP estão ocorrendo com sucesso e esquerdomídia manipulando todos os dias as informações. Ora, caros leitores, no caso do Brasil estamos falando obviamente dos ataques ecoterroristas no Brasil para criar mais uma crise de instabilidade internacional ao governo Bolsonaro. Como venho batendo em inúmeros artigos publicados, a esquerda em suas bases prevê que tudo pode ser feito para atingir o objetivo de chegar ao poder e se perpetuar. 

 Agora a pouco o ministro da defesa brasileiro,  Fernando Azevedo, entre outras autoridades deram uma entrevista coletiva explicando todo o trabalho realizado e que o principal suspeito pode mesmo ser o navio grego  Bouboulina, mas que ainda estão na lista 30 embarcações suspeitas. De uma forma ou de outra é muito suspeito e ainda tem muita coisa para acontecer.  Se fossemos analisar usando uma metáfora sobre a saga Star Wars, o império (esquerda brasileira e latino americana), contra ataca os defensores da paz e da democracia, os jedis (governo federal e congressos). Quem será que vencerá essa guerra? 

Régis Rothfilber

Régis Rothfilber

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista