Precisamos valorizar o que temos; foi conquistado com esforço próprio e nos foi concedido conforme o merecimento. Não devemos reclamar jamais, para não emanarmos energia negativa, não precisamos dela. Temos que continuar nos esforçando para realizar nossos sonhos, de forma equilibrada e corrigindo nossas imperfeições de caráter, que são elas que regulam o que merecemos e o que conquistaremos.

Em relação às amizades, nos compete separar os colegas dos amigos. Não é difícil, amigos são aqueles que independente da situação e de onde nos encontrarmos, nos estimam, respeitam, são leais e, principalmente, solidários nos momentos que precisamos. Colegas, são aqueles que, obrigatoriamente, precisamos conviver, como por exemplo, colegas de trabalho.

Lembremos que não há maus amigos, ou se é ou não um bom amigo. Já colega, precisamos aprender a conviver, pois há os bons e os maus, aqueles que convergem para o objetivo comum e aqueles que divergem e pensam apenas nos próprios propósitos. Evoluímos bastante, convivendo e aprendendo com as situações adversas que enfrentamos com os maus colegas.

De repente, também, não estamos sendo maus colegas? Que tal fazermos uma autoanálise? Vamos avaliar se estamos sendo justos com as pessoas que convivemos, se não estamos falando o que não sabemos sobre elas, com base em suposições, a famosa “fofoca”, enfim, se não estamos fazendo com os colegas, o que não gostaríamos que fizessem conosco.

Também, avaliemos se estamos sendo solidários e fraternos, sempre será possível melhorar o ambiente que frequentamos, nos aperfeiçoando, desenvolvendo virtudes e convivendo como verdadeiros irmãos: –  Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos. – Sócrates

Jorge Jubrail

Jorge Jubrail

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista