Agradeçamos sempre, independente das adversidades que estejamos enfrentando. De repente, estávamos precisando de um choque para olhar dentro de nós, nos compreendermos melhor, nos fortalecermos estreitando a crença no Pai Maior e pela esperança de um futuro melhor, que precisamos começar a transformar agora.

Nas dificuldades nos aproximamos do sagrado e temos a oportunidade de avaliar melhor os caminhos e as pessoas que nos cercam. Olhando para trás, poderemos observar os terrenos férteis e os sombrios que ultrapassamos, para que possamos escolher em qual sentido daremos nossos próximos passos, conforme nosso livre arbítrio.

Ainda, avaliando nosso passado, perceberemos quais pessoas somaram, quais nada agregaram e as que, de alguma maneira, se tornaram obstáculos em nossa caminhada, até este ponto da vida. Porém, é fundamental verificarmos o quanto agregamos às pessoas, o quanto fomos neutros quando poderíamos ter ajudado e pedir perdão, caso tenhamos prejudicado alguém.

Do passado levaremos as lembranças, do presente a esperança  de um futuro melhor, desde que tenhamos a percepção de onde nos encontramos, onde queremos chegar, sabendo que tudo é possível quando acreditamos no Pai Maior e nos empenhamos com determinação, disciplina, perseverança e resiliência, quando necessária.

“A recordação é a esperança do avesso. Olha-se para o fundo do poço como se olhou para o alto da torre.”Gustave Flaubert

Jorge Jubrail

Jorge Jubrail

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista