Será que vivemos num mundo real ou apenas no meio de um monte de histórias mentirosas contadas por nós mesmos? Por exemplo, por que o dinheiro tem tanto valor ao ponto de causar guerras entre os povos? Afinal, não deveríamos nos considerar como verdadeiros irmãos e iguais?

Outro exemplo, precisamos mesmo de intermediários para reencontrarmos o Criador do Universo? Todos nós não deveríamos estar atrás da mesma verdade? De repente, não estamos nos condicionando que ao agir bem receberemos a recompensa do Paraíso, do contrário a punição do Inferno? No fundo não é assim que nos querem, ansiosos pelo futuro e preocupados com nosso passado errante?

Às vezes, duvidar de algumas coisas poderá ser o passo inicial para nos desligarmos do consciente coletivo, quebrar paradigmas e encontrar respostas valiosas para algumas de nossas inquietações, confrontando o que querem que acreditemos com o que queremos acreditar. Ninguém é dono da verdade, mas, cada um pode ter a sua visão sobre ela, podendo, assim, agir conforme seu livre arbítrio, dentro de suas crenças e valores.

Vamos aproveitar que hoje é o dia da mentira para refletir sobre as verdades escondidas por quem domina o poder, o dinheiro e as comunicações de massa. Pense e questione-se; de repente, o lado para onde todos estão indo, é para onde não deveríamos ir. Vamos exercer mais o nosso livre arbítrio, precisamos nos conhecer melhor, para explorar nossas potencialidades e as energias que nos ligam às coisas Universais. Feliz 1º de Abril, dia da mentira!

“A História é um conjunto de mentiras sobre as quais se chegou a um acordo.”Napoleão Bonaparte

*As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a posição do portal RIC Mais.

Jorge Jubrail

Jorge Jubrail

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista