Importa mais nos descobrirmos um pouco a cada dia à importância que damos ao que pensam sobre nós. Só conseguiremos cumprir nossa missão na Terra depois de muito refletirmos sobre nossas experiências, nossas fraquezas e forças, para que possamos nos empenhar em usar a força para auxiliar o próximo pela caridade e combatermos nossas fraquezas, que são os vícios que temos.

Não devemos nos julgar jamais, muito menos deixarmos influenciar pelo julgamento alheio, precisamos mergulhar no nosso íntimo para entendermos o porquê das coisas; tudo tem um motivo para acontecer e transcorre sob a influência das nossas ações ou reações passadas, esse é o nosso presente. Para mudarmos o futuro, precisamos começar já, praticando boas ações e controlando nossas reações diante das adversidades.

Seja qual for nosso objetivo, só poderemos atingi-lo por nó mesmos, com empenho, fé, esperança e positivismo, não devemos aceitar que o pessimismo nos limite, nem que o negativismo alheio influencie nossa jornada. Não precisamos provar nada a ninguém, mas,  nossas realizações pessoais são muito gratificantes e prazerosas, estimulam a irmos cada vez mais longe, “atitude-se”!

A inquietação e o descontentamento são estímulos ao estudo, aprendizado e, consequentemente à evolução. Porém, não podemos achar que dar um passo apenas bastará para nos transformarmos, nosso desenvolvimento é constante, não podemos ficar inertes, esperando as coisas acontecerem:  – O descontentamento é o primeiro passo na evolução de um homem ou de uma nação.  – Oscar Wilde

Jorge Jubrail

Jorge Jubrail

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista