Enquanto o mundo debate soluções para combater o Coronavírus, o prefeito e os vereadores de Maringá, região noroeste do Paraná, resolveram aumentar os próprios salários. A Câmara da cidade se autoconcedeu um reajuste de 4,3%. O valor também vale para o prefeito, Ulisses Maia (PDT), o vice-prefeito e secretários municipais.

 

Conhecida como “Cidade Canção”, o município já tem 1 morte registrada pelo COVID-19 e o comércio sofre com os efeitos da crise econômica. Diante da insatisfação popular, os vereadores responderam que a culpa é da Constituição Federal, já que ela prevê que o aumento não poderia ser dado em outro momento.

 

Não é só Maringá

Além de Maringá, em outras duas cidades da região oeste do Paraná os vereadores só querem saber de aumentar os próprios salários, ignorando a necessidade de destinar recursos para o combate ao Coronavírus.

 

Em Guaíra, na fronteira com o Paraguai, foram reajustados em 4,48% os salários do prefeito, Heraldo Trento (DEM), do vice-prefeito e secretários municipais. Na sessão que aprovou o aumento, os vereadores usaram máscaras para se proteger do Covid-19 (veja aqui), e o presidente pediu rapidez na votação. Dos 11 vereadores, apenas 3 foram contra.

 

Já em Capanema, na fronteira com a Argentina, uma sessão para o reajuste dos servidores da Câmara da cidade foi marcada para o último dia 24, mas diante da repercussão negativa os vereadores resolveram adiar a decisão.

*As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, a posição do portal RIC Mais.

Notícias relacionadas

Marc Sousa

Marc Sousa

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista