Livre, leve e solto, Lula voa, de novo, para Europa. Depois de visitar recentemente Roma, onde se encontrou com o Papa, agora o ex-presidiário vai fazer um tour de 13 dias no Velho Mundo. O roteiro conta com escalas na França, Suíça e Alemanha.

 

A viagem começa por uma visita à torre Eiffel. Ele receberá o título de cidadão honorário de Paris, concedido pela prefeita da capital francesa Anne Hidalgo. Ligada a esquerda, ela chegou a comemorar nas redes sociais quando o condenado deixou a prisão.

 

Depois o petista vai desafiar o coração do capitalismo em Genebra, na Suíça, onde participará de reuniões com a esquerda da igreja (Conselho Mundial de Igrejas) e sindicalistas.

 

Para fechar, vai à Alemanha. Em Berlim, encontra mais sindicalistas.

 

Lula aproveita la dolce vita de um condenado no Brasil. Ele deveria estar duplamente preso, mas o STF fez o serviço para libertá-lo. Até Ronald Biggs, o ladrão do século, que passou boa parte da vida em nosso país longe das grades graças ao nosso judiciário, teria inveja das benesses de Lula.

Marc Sousa

Marc Sousa

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista