A executiva nacional do MDB meteu a colher na briga dos primos João Arruda, presidente estadual do partido, e Requião Filho, deputado estadual. A direção da legenda sinalizou que o parlamentar pode deixar a sigla sem risco de perder o mandato. Uma espécie de autorização pode ser dada para a migração.

 

O recado nacional é fruto do acirramento de ânimos que aconteceu há algumas semanas, quando o pai de Requião Filho e tio de João Arruda, Roberto Requião, ventilou uma possível candidatura a prefeitura de Curitiba. Na época, o deputado lançou um manifesto dizendo que a candidatura o pai seria real e orgânica, dando a entender que o nome do primo seria apenas a vontade de burocratas do partido.

 

Partidos de esquerda fazem fila pelo passe do jovem Requião.

 

Marc Sousa

Marc Sousa

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista