Mal deu tempo de comemorar

Menos de um mês depois de sair da cadeia, Lula já foi novamente vítima do seu próprio passado, quando comandou uma organização criminosa que assaltou os cofres brasileiros.

O TRF 4 julgou e condenou o líder máximo do Partido dos Trabalhadores a 17 anos de prisão pelo processo envolvendo o Sítio de Atibaia.

Porém, ao contrário do processo do triplex, aonde Lula havia sido condenado pelo juiz Sérgio Moro, ele não começa a cumprir essa pena agora. 

Graças ao novo entendimento do STF sob prisão para condenados em segunda instância, ele não vai voltar para detrás das grades. Pelo menos por enquanto.

Sua volta para a cadeia poderá ocorrer somente em 2020

Talvez apenas em 2021. Duas situações podem sacramentar seu retorno para cela da sede da Polícia Federal em Curitiba.

No congresso tramitam 2 projetos para volta da prisão após condenação em Segunda Instância, como já acontece no mundo inteiro, literalmente falando.

Um na Câmara e outro no Senado.

Um deles deverá ser votado já no primeiro semestre de 2020. Se for aprovado, poderemos ver uma espécie de “Lula Livre 2.0” em breve.

Óbvio que o STF vai espernear, provavelmente teremos discussões acaloradas entre os poderes. E outra novela vai começar.

Também em 2020 vai acontecer a primeira nomeação de um ministro do Supremo por Jair Bolsonaro

Que vem prometendo um ministro “terrivelmente cristão” para ocupar o cargo que Celso de Mello deixará vago. O que deve acontecer provavelmente no início de 2021.

Não é preciso ser nenhum especialista em política para saber que o indicado será alguém alinhado politicamente e ideologicamente com o presidente da república.

Assim que o novo indicado assumir o posto, teremos com 100% de certeza mais um julgamento sobre a prisão de condenados em Segunda Instância.

Por mais bizarro, juridicamente falando, que isso possa parecer, pois a “segurança jurídica” poderá ser posta em risco, a OAB será ferozmente contra, etc.

Mas como o STF não anda lá com sua moral muito elevada, é fato que isso pode, e deve acontecer.

E num novo julgamento, dessa vez com a maioria a favor, provavelmente tudo voltará a ser como antes.

Pra piorar ainda mais sua situação, Lula ainda é réu em outros processos

Não será surpresa se aparecer outra condenação contra ele durante esse período. O que só vai aumentar o clamor popular por sua prisão.

Mas mesmo diante de todo esse futuro panorama negativo, Luis Inácio viaja o Brasil afirmando que vai ser candidato a presidente em 2022.

Pouco se importando com suas condenações, a possibilidade real de voltar para cadeia e a Lei da Ficha Limpa.

Se tem uma coisa que ele sabe fazer como poucos é deixar seu próprio personagem vivo, ativo e ocupando espaço na mídia.

O show de Lula não vai parar. Mas até quando?

Leandro Requena

Leandro Requena

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista