A palavra tem poder, positiva ou negativamente, energiza a pessoa a quem direcionamos a fala ou de quem falamos, mas, principalmente, nos energiza. Portanto, tenhamos cuidado com o que sairá de nossas bocas, melhor que sejam flores a cobras e lagartos.

Algumas vezes, quando as palavras não forem suficientes para acalentar nossos irmãos, o silêncio poderá ser a nossa melhor alternativa; noutras, será melhor falar a deixar o silêncio guardado; dentro de nós ele se transformará em angústias e machucará nossos corações.

No silêncio são ditas as mentiras mais cruéis e nele, também, acabamos por nos confessar. É possível avaliar a intenção de uma pessoa que se cala diante das injustiças, ou quando age silenciosamente, prejudicando alguém. Não há como se esconder no silêncio, ele nos revela.

Se há duas coisas no mundo que nos causam uma sensação de liberdade inigualável são a solitude e o silêncio. Ambos se completam, mas, quando estivermos num momento de solitude e der vontade chorar, choremos, de gritar, gritemos, sempre nos lembrando de sermos autêntico e fiéis aos nossos sentimentos mais intrínsecos. 

Que os parágrafos acima, tenham servido de estímulos para conversarmos com nossas consciências e refletirmos. Que todas as verdades plantadas no campo do silêncio se manifestem, só assim estaremos nos libertando das preocupações com o passado e da ansiedade pelo futuro, que tanto afetam nossa vida presente.

Jorge Jubrail

Jorge Jubrail

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista