Posts e stories no Instagram e Facebook, matérias em revistas e TVs: repletas de musas, divas e divos fitness exibindo sua forma física e mostrando como treinar, como e o que comer, quais tratamentos realizar para ficarem com o corpo mais que perfeito e mostrá-los publicamente!   

Toda esta exposição de super corpos, naturalmente cria um padrão estético que, na maioria das vezes, é quase impossível de se alcançar e que acaba por criticar o padrão de corpo e de  estilo de vida daqueles que estão fora de forma, com sobrepeso ou obesos, gerando frequentemente preconceitos, críticas, cobranças e até ofensas, ao que tem se dado o nome de gordofobia! 

 A gordofobia pode causar diversos transtornos, principalmente os alimentares, como a anorexia (onde há perda excessiva de peso pela falta de ingesta, por conta da visão distorcida que a pessoa tem de seu corpo), a bulimia (onde há ingesta excessiva e compulsiva, seguida de vômitos, uso de medicamentos ou atividade física em excesso para evitar o ganho de peso ) e a vigorexia (condição em que a pessoa está obcecada pela boa forma, praticando  atividade física em excesso em busca de um corpo musculoso ), além de depressão, ansiedade e frustração. Pode ainda trazer riscos à vida da pessoa, já que ela vai em busca de dietas e tratamentos milagrosos que quase sempre são de qualidade duvidosa e sem respaldo médico.  

Mas agora vamos sair das mídias sociais e leigas e entrar numa outra área: a da Sáude. Médicos, nutricionistas, farmacêuticos/bioquímicos, educadores físicos que trabalham na área nutricional e de estilo de vida saudável, muitas vezes são injustamente taxados de gordofóbicos e de fazerem apologia à magreza, quando na verdade estão trabalhando na prevenção da obesidade e de todas suas complicações e alertando as pessoas sobre o risco e perigo que a gordura em excesso traz às nossas vidas!!!

Diferente da mídia, que está focada unicamente na estética e que muitas vezes mostra tratamentos e dietas não seguros, o profissional competente está focado na saúde; a estética  naturalmente é consequência de uma vida com hábitos saudáveis.

 É preciso entender que a obesidade é uma condição inflamatória perigosa! O acúmulo de gordura no tecido adiposo, principalmente quando formado na região visceral, relaciona-se a problemas inflamatórios e doenças como diabetes mellitus, apnéia do sono, doenças articulares e ósseas, aumento do risco de vários tipos de câncer, hipertensão arterial, dislipidemias, aterosclerose e outras doenças cardiovasculares.

Portanto vamos quebrar o paradigma: Eu sou um gordinho saudável! Não, você não é saudável se estiver com sobrepeso ou obeso!!! Você pode até não se importar com a sua forma física, dizer que se gosta assim, podem lhe chamar de gordinho gente boa, de bonachão, ok! Mas sua saúde, tenha certeza, que está sendo minada pela gordura em excesso! É comum ouvir: meu exames estão ótimos! Não!! Eles também não estão!! Provavelmente se realizados exames mais específicos, os resultados mostrarão a realidade: Seu corpo está trabalhando na “rotação máxima” para não adoecer, porém ele tem um limite! E se ainda adicionarmos: sedentarismo, sono de má qualidade, bebida alcoólica, fumo e stress, você estará carregando uma bomba relógio em seu corpo , prestes a ser detonada !

É importante esta conscientização! Abordar a obesidade com seriedade, com orientações de prevenção, de tratamentos éticos e de eficácia comprovada, não é gordofobia, não é apologia à magreza! É uma responsabilidade social que o profissional de saúde tem com a população!!  

Cuide-se e viva mais e melhor!!

Flávia Ohde

Flávia Ohde

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista