Eu juro que a vi, na fachada histórica do Instituto de Educação do Paraná, mais iluminada pela pintura nova e antipichação. Eu juro que a senti, caminhando tranquila nos 150 metros de seu apartamento até o Instituto onde ensinou e inspirou por 23 anos. Helena Kolody, nossa poeta maior e mais doce, 91 anos de vida até 2004 e mais 15 de saudade que não acaba, estaria orgulhosa e feliz em sua Voluntários da Pátria, nova Rua Inteligente da cidade.

Helena passou a maior parte de sua vida nessa rua, indo do prédio que morava na esquina com a Praça Rui Barbosa até o Instituto, na esquina com a Emiliano Perneta. Nossa professora maior, era ela quem desfilava sua sabedoria pela Voluntários, agora nossa rua inteligente.

Na última quinta-feira, o prefeito Rafael Greca, amigo e admirador de Helena, entregou a obra da Voluntários, revitalizada pela Prefeitura de acordo com a ideia de rua inteligente.

São conceitos que priorizam a rua para a população, com acessibilidade, luz de led, paisagismo, arborização, mobiliário bonito e funcional. O desnível no meio-fio é mínimo, melhorando a acessibilidade da rua para as calçadas, que foram ampliadas para privilegiar o pedestre. A separação entre rua e calçada é sinalizada por uma faixa amarela. A parte histórica foi mantida com pisos em paralelepípedos e petit pavê.

Também tem o que não se vê, mas que possui importância indiscutível: os postes de energia foram retirados e a rede elétrica passou a ser subterrânea. Foi implantada uma nova e robusta galeria de águas pluviais para garantir drenagem eficiente nos dias de chuva.

No lugar do asfalto, os veículos passaram a circular por um piso de paralelepípedo, com velocidade limitada. A preferência é do pedestre. No encontro com a Rua Emiliano Perneta foi construído um cruzamento elevado, que facilita a travessia. As vagas de carga e descarga e para taxistas foram mantidas e atendem os comerciantes com endereço na rua.

Além disso, a localização dessa primeira Rua Inteligente não podia ser melhor, ligando a Praça Osório, no início da Boca Maldita, à Praça Rui Barbosa, o principal ponto de transporte coletivo da cidade e sede da Regional Matriz.

Inteligência e inovação, também, é preservar a história. A rua da dona Helena abriga o Instituto de Educação do Paraná, imóvel do Governo do Estado que foi recuperado pelo programa Rosto da Cidade, da Prefeitura de Curitiba.

A entrega da obra foi celebrada com muita emoção pelos moradores, comerciantes, professores, diretores e alunos do colégio. Helena Kolody foi homenageada por uma atriz que fez o papel da poetisa e declamou das janelas do histórico Instituto textos como este: “Não ando na rua. Ando no mundo da lua, falando às estrelas.”

Cris Alessi

Cris Alessi

Compartilhe essa opinião:

Opiniões do colunista