Clima e Tempo

Homem de 60 anos morre ao ter cabeça atingida por galho arrancado por ventania

Irmão dele, que mora na área rural da mesma cidade, por muito pouco também não foi atingido por um galho de árvore durante o vendaval

Giselle
Giselle Ulbrich
Homem de 60 anos morre ao ter cabeça atingida por galho arrancado por ventania
(Foto: Reprodução / Colaboração)

30 de março de 2022 - 19:13 - Atualizado em 30 de março de 2022 - 21:35

Vitor Barcic, de 60 anos, morreu após o galho de uma araucária cair sobre sua cabeça, na tarde desta quarta-feira (30), durante o vendaval que atingiu a grande Curitiba. O fato ocorreu na Avenida Santos Dumond, bairro Roça Grande, em Colombo, na região metropolitana da capital. Coincidência ou não, o irmão dele, que mora na área rural de Colombo, por muito pouco também não foi atingido por um galho de árvore no vendaval.

Quando notou a ventania, Vitor saiu no quintal para tirar o carro de perto das árvores. Mas o vento forte arrancou o galho da árvore, que caiu direto na cabeça dele. Ele ficou insconsciente, porém com vida, até a chegada do Siate, mas morreu em seguida, dentro da ambulância.

O sobrinho de Vitor chegou momento depois, contando que por muito pouco seu pai, irmão de Vitor, também não se acidentou da mesma forma.

Outras cidades

Em Colombo, o Simepar registrou ventos de quase 80 quilômetros por hora. Mas não foi só nesta cidade que o vendaval provocou estragos. Em Curitiba, a Defesa Civil recebeu chamados de quedas de galhos e árvores em pelo menos 46 bairros. Os ventos chegaram a quase 70 quilômetros por hora.

Em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, onde os ventos chegaram a 80 Km/h por volta do meio-dia, a Avenida Visconde de Mauá teve o registro de uma queda de árvore. Na Rua Netuno, um poste caiu. E várias ruas ficaram alagadas. A escola municipal Frederico Constante Degraf teve uma das salas de aula destelhadas. Conforme a secretaria municipal de educação, não havia alunos no local naquele momento. A escola, que atende 150 alunos de manhã e outros 150 à tarde, terá aulas remotas pelos próximos dias.

Esta não é a única escola de Ponta Grossa que sofreu com ventos nos últimos dias. Também foram destelhadas as escolas municipais Aristeu Costa Pinto e Nelson Pereira Jorge, que já estavam passando por reparos.

Apesar do susto, não há vítimas em Ponta Grossa. Às 19h, o balanço da Defesa Civil da cidade era de 13 destelhamentos, 11 quedas de árvore e 1 queda de muro.

Oeste e noroeste

Na região oeste, o município de Toledo também sofreu com os ventos fortes. Três ruas ficaram bloqueadas por causa de queda de árvores: Rua Dom Pedro II, na altura do BNH Rossoni; Rua Raimundo Leonardi, nas proximidades da Fatritol, esquina com a Rua Paraguai, no Jardim Porto Alegre; e na Rua Treze de Abril, na Industrial, proximidades da Borracharia São Cristóvão. A prefeitura trabalhava, no fim da tarde, para a remoção das árvores.

Em Paranavaí, no noroeste do Paraná, a queda de uma árvore também bloqueou o trânsito numa das principais vias da cidade. O vento foi tão forte que arrancou a árvore pela raiz.

Ruas de Toledo, no oeste do Paraná, fcaram bloqueadas pela queda de árvores. (Foto: Colaboração)