Clima e Tempo

Garagens alagadas, placas perdidas e desabrigados: tudo sobre as chuvas em Curitiba e no Litoral

No Litoral, o registro da Simepar é que o volume de chuva foi maior do que 100mm

Daniela
Daniela Borsuk com informações da Agência Estadual de Notícias
Garagens alagadas, placas perdidas e desabrigados: tudo sobre as chuvas em Curitiba e no Litoral
(Foto: AEN)

6 de janeiro de 2022 - 12:39 - Atualizado em 6 de janeiro de 2022 - 12:39

As fortes chuvas que atingiram Curitiba e o Litoral paranaense entre o fim da tarde desta quarta-feira (5) e esta quinta-feira (6) deixaram estragos. Ainda nesta quinta-feira, ruas estão interditadas, garagens de prédios seguem alagadas, placas de carro que foram perdidas estão sendo localizadas nas ruas e a Prefeitura de Matinhos faz o atendimento a desabrigados.

Na capital, conforme dados do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), foram 22,8 mm de precipitação e no Litoral o registro é de mais de 100 mm acumulados. Ainda, foram contabilizados vários pontos de alagamentos, quedas de muros, de árvores e de galhos, e até mesmo interrupção de energia em algumas regiões.

O volume de água, no entanto, muda de um bairro a outro. O valor de 22,8mm foi marcado na estação meteorológica de referência do Simepar, no bairro Jardim das Américas. No entanto, outra estação, localizada no Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) marcou acumulado de 74 mm de chuva e rajadas de vento de 29 km/h. Já outras estações pluviométricas da Capital mostraram os seguintes acumulados: Santa Quitéria, com 60 mm, Vista Alegre e Boa Vista, 33 mm.

“Esse volume variou muito de um bairro a outro da Capital enquanto no Litoral as chuvas foram mais uniformes e persistentes”, destaca o meteorologista Lizandro Jacóbsen, do Simepar. Ele explica que as chuvas de verão são, justamente, caracterizadas pela irregularidade, chovendo bastante em um bairro ou em um ponto do município e quase nada em outro, o que resulta na diferença do que é medido em um ponto de referência do Simepar e no que é observado no mapa de precipitação.

Um exemplo desta situação ocorreu na região do Salto Morato, em Guaraqueçaba, onde choveu mais de 150 mm. Já o acumulado de Guaraqueçaba no ponto de referência de medição do Simepar ficou em 74,2 milímetros (mm). Os demais acumulados em 24 horas para os municípios litorâneos foram: 113,6 mm para Guaratuba; mais de 100 mm para Matinhos; 22 mm em Antonina; e 75,2 mm em Paranaguá.

“Continua a chover em alguns pontos do Litoral. Vamos ter uma trégua das chuvas de dois dias e no domingo as condições se tornam mais favoráveis para a precipitação novamente”,

aponta Jacóbsen.

Alagamentos

Ainda nesta manhã, a Rua São Luiz, no bairro Cabral, em Curitiba, continua interditada e o desvio está sendo realizado pela Rua dos Funcionários. Na via, o muro do antigo presídio do Ahú desabou e, devido ao volume de chuva, garagens de prédios da região ficaram alagadas.

Desabrigados em Matinhos

A Arena Vicente Gurski foi preparada e aberta às 23 horas desta quarta-feira (5) para receber os desabrigados. E nesta quinta-feira (6), será feita a coleta de doações de roupas, alimentos, móveis, colchões, eletrodomésticos e itens de primeira necessidade durante todo o dia na Arena.

Conforme o Corpo de Bombeiros, na noite de quarta-feira, 127 pessoas foram atendidas pelos bombeiros em Matinhos, a maioria delas ilhadas ou isoladas em residências ou veículos. Destas, 11 pessoas ficaram desabrigadas e foram encaminhadas para a Arena e atendidas pela prefeitura. Balneários de Matinhos podem ficar sem abastecimento de água nesta quinta (6)

Placas de carros

Em Matinhos, as cerca de 50 placas encontradas após as chuvas estão no Quartel da Polícia Militar, na Rua Lapa, 511. Para retirar a placa, os proprietários devem apresentar os seguintes documentos: documento com foto do proprietário e documento do veículo.

(Foto: Prefeitura de Matinhos)

Defesa Civil

Em Curitiba, conforme as informações de atendimento da Defesa Civil do município, nos bairros Fazendinha, Novo Mundo, CIC, Santa Cândida, Santa Felicidade, Batel e Bacacheri houve alagamentos, quedas de galhos e árvores na via pública, além das quedas de dois muros. Nenhuma pessoa precisou ser retirada de casa.

Nas praias, os municípios de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba somaram 127 atendimentos do Corpo de Bombeiros por causa dos alagamentos. Apenas em Matinhos, foram 117 atendimentos a pessoas que estavam em residências afetadas pela subida das águas e 11 tiveram que deixar suas casas e aguardam para retornar.

Em Paranaguá, quatro pessoas foram retiradas das residências preventivamente por conta da queda do telhado de um barracão abandonado. Nesta quinta, as equipes de engenharia da prefeitura retornam ao local para nova avaliação de risco.

Uma equipe da Defesa Civil Estadual está no Litoral mobilizada para auxiliar nos atendimentos e orientar as Defesa Civis municipais. O Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cegerd)também acompanha as condições meteorológicas no Estado, recebendo informações do Simepar e de outros órgãos de meteorologia para alertar sobre situações de risco.

Além da estrutura da Defesa Civil, as pessoas podem receber diretamente os alertas, de forma gratuita, pelo celular. É preciso fazer o cadastro enviando um SMS com o número do CEP de residência para 40199.

Cuidados

Em situações como estas, alguns cuidados devem ser tomados para não se expor a riscos, entre eles, evitar atravessar águas com correnteza forte e locais alagados desconhecidos, pois podem esconder escombros e obstáculos.

Os atendimentos podem ser solicitados à Defesa Civil pelo telefone 199 ou ao Corpo de Bombeiros pelo 193.