Bichos

Qual é a quantidade de ração para cachorro ideal?

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação @paulinemachadooficial
Qual é a quantidade de ração para cachorro ideal?

15 de março de 2021 - 00:15 - Atualizado em 17 de novembro de 2021 - 11:27

Por sua praticidade e bom custo-benefício, as rações comerciais são uma das melhores maneiras de garantir uma alimentação balanceada ao pet. Mas qual é a quantidade de ração para cachorro adequada? 

Muitos tutores possuem esse e outros questionamentos relacionados, como a mudança na quantidade oferecida de acordo com a fase da vida do pet e o que fazer quando o cão está acima do peso. A seguir, respondemos a algumas das principais dúvidas sobre o tema.

Como definir a quantidade adequada de ração para cachorro?

Para cães saudáveis, a quantidade de ração mais indicada varia principalmente de acordo com peso, porte e idade do pet. Por isso mesmo, ao escolher uma ração, é importante seguir as recomendações referentes à faixa etária. 

Afinal, as necessidades de um filhote bastante ativo e em desenvolvimento não são as mesmas de um cão idoso, que costuma ser mais sedentário. Portanto, é importante oferecer a quantidade de ração para cachorro filhote, adulto ou idoso da maneira correta, além de um alimento específico para cada idade.

Ao escolher a ração, consulte as indicações de como calcular a quantidade de ração para cachorro presentes na embalagem, baseando-se no peso do pet. No entanto, é importante conversar com um veterinário, de preferência especialista em nutrição, antes de determinar tanto a ração quanto a quantidade.

Após um check-up, o especialista poderá identificar necessidades particulares de cada indivíduo, melhorando a saúde interna e até a pelagem do pet. Portanto, não deixe de consultar um profissional em relação ao bem-estar do seu amigão e para saber qual a quantidade de ração para o cachorro.

É verdade que quanto melhor é a qualidade da ração, menos o cachorro precisa comer?

Muita gente já ouviu falar que determinado cãozinho prefere a ração do tipo standard. Assim, ele passa a comer menos quando a ração é alterada para outra, do tipo premium ou super premium.

Embora o cachorro até possa preferir o sabor de uma ração ao de outra, em geral isso acontece devido à chamada “digestibilidade”. Isto é, ao potencial de absorção dos nutrientes pelo organismo do cãozinho.

Em outras palavras, quanto maior é a digestibilidade de uma ração, menor será a quantidade de ração para cães necessária para que os peludos se sintam saciados. Consequentemente, também há diminuição do conteúdo fecal. 

Quantas vezes um cachorro deve comer por dia?

A quantidade de ração para cachorro deve ser fracionada em duas porções ao dia a fim de evitar que o cão passe muito tempo sem comer. Assim, você evita quadros de hipoglicemia. No caso dos filhotes, o intervalo entre uma refeição e outra é ainda menor: cerca de três vezes ao dia. 

“Hipoglicemia é uma baixa na taxa de glicose no sangue que é comum em filhotes devido a uma alimentação inadequada, de baixa qualidade. Ou, em casos mais sérios, por algumas doenças hepáticas”, explica a Dra. Claudia Centinari, médica-veterinária da Petz. 

“Para filhotes com dois meses de idade, é recomendado alimentá-los quatro vezes ao dia. A partir dos quatro meses, três vezes ao dia, e depois dos oito meses, duas vezes ao dia, ou de acordo com a recomendação do veterinário”, completa. 

Assim, recomendamos consultar um especialista em relação a quantos gramas de ração um cachorro deve comer por dia, baseando-se nas características do seu pet. A partir disso, crie uma divisão dessa quantidade de acordo com as refeições diárias do peludo.

Qual é o melhor horário para as refeições do cachorro?

Não existe uma regra. Os melhores horários para alimentar o cachorro dependem da rotina de cada família. Por exemplo, tutores que passam a maior parte do dia fora de casa podem oferecer a ração pela manhã, antes de sair de casa, e à noite, após a chegada.

Já para quem tem essa possibilidade, as refeições podem ser feitas de manhã e à tarde. O importante é distribuir bem o horário para que o pet não passe muito tempo sem comer. Estabelecer horários é bom, pois evita que o cachorro adquira o hábito de ficar “enrolando” para comer.

Para quem passa bastante tempo fora de casa, uma dica é usar comedouros-brinquedos para oferecer a ração ao cãozinho. Nesse caso, ofereça o brinquedo imediatamente antes de sair. Isso ajuda o pet a se distrair, farejando e perseguindo a comida na sua ausência. 

Meu cachorro está acima do peso, posso diminuir a quantidade de comida?

Se o seu amigo de quatro patas está acima do peso, não é recomendado apenas diminuir a quantidade de ração. Lembre-se que, assim como a gente, os cães obtêm os nutrientes necessários ao organismo por meio da ração. Ao oferecer quantidade insuficiente de comida, corre-se o risco do pet ficar mal-nutrido, com deficiências de vitaminas e etc.

Atualmente, já existem no mercado rações específicas para perda de peso que garantem a nutrição do cão com menor aporte de gordura. Seja como for, é importante que esse tipo de alimento seja prescrito por um veterinário, após uma consulta.

Além de mudanças na alimentação, ele também poderá recomendar mudanças na rotina, com aumento na frequência dos passeios, por exemplo. Sem contar que ele poderá identificar e tratar qualquer alteração metabólica. 

Fonte: Petz