Bichos

O que deixa o cachorro estressado e como ajudá-lo?

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação @paulinemachadooficial
O que deixa o cachorro estressado e como ajudá-lo?

26 de agosto de 2021 - 00:00 - Atualizado em 17 de novembro de 2021 - 11:19

A rotina de vida da família ou até o tipo de cuidado dado ao animal de estimação pode deixar o cachorro estressado. O problema é que, além das alterações de comportamento, o estresse leva à queda de imunidade, deixando o pet mais suscetível a doenças. Veja o que fazer. 

O que causa estresse no cachorro? 

Embora este animal costume acompanhar os humanos no dia a dia, é fato que qualquer mudança na rotina pode causar estresse nos cães, desde a chegada de uma visita até a vinda de um bebê.

Qualquer falha no bem estar desse animal faz com que aumente os níveis de cortisol (hormônio do estresse), levando ao stress. 

Quando não suprimos as necessidades do cão de fato. Isto é, o cão ser um cão.

Animais que ficam acorrentados ou são colocados em um espaço pequeno, sem passear algumas vezes por dia, tendem a ficar estressados. Afinal, eles não têm qualidade de vida nenhuma e acabam sofrendo. 

As seguintes situações também são razões apontadas para o que causa estresse no cachorro:

  • o animal fica sozinho por muito tempo;
  • o pet não tem atividades no ambiente em que mora;
  • a família muda de casa;
  • o espaço é inadequado para o porte do animal;
  • o peludo fica muito tempo preso;
  • a região é muito barulhenta;
  • as pessoas soltam fogos de artifício;
  • os donos viajam, e o animal passa a ser cuidado por alguém que não conhece;
  • a família adota um animal de estimação novo, e o pet mais velho não estava preparado para isso;
  • o animal fica com fome ou sede por muito tempo;
  • os banhos podem ser estressantes para alguns pets. 

Quando desconfiar que o cachorro está estressado?

O estresse em cães pode apresentar-se de várias maneiras. Quando não tratado, o animal pode ficar mais suscetível ao desenvolvimento de doenças. Por isso, o tutor deve ficar atento aos sintomas de estresse no cachorro. Entre eles:

  • manifestações de agressividade;
  • falta de apetite;
  • ansiedade
  • latidos em excesso
  • perda de peso;
  • sono excessivo;
  • insônia;
  • lambedura excessiva nas patas ou em outra área do corpo;
  • desânimo;
  • xixi e coco fora do lugar;
  • redução da interação e do contato com algumas pessoas da família.

Meu cachorro está estressado, o que devo fazer?

Cachorro estressado, o que fazer? A primeira coisa é tentar observar se algo mudou na rotina do pet. Uma pessoa da família pode ter ido viajar ou um gatinho de estimação foi adotado recentemente: tudo isso pode levar ao desenvolvimento do estresse.

Além de observar a rotina, para ver o que pode estar causando o problema, é preciso levar o cachorro estressado ao médico veterinário comportamentalista. É ele quem vai conseguir diagnosticar e solicitar exames caso exista alguma doença de base ou se é somente um problema comportamental.

A urina fora do lugar, por exemplo, pode ser consequente de cistite mas também uma forma de chamar atenção do tutor. Já a agressividade pode ser resultante de dor mas também em uma falha de comunicação de você com seu pet. 

Enquanto a lambedura excessiva, às vezes, tem relação com uma dermatite ou também algo relacionado à falta de atividade.

Assim, o peludo vai precisar ser examinado. Entretanto, durante a consulta, é preciso que o tutor conte quais mudanças ocorreram em casa. Isso ajudará tanto no diagnóstico, quanto na indicação de o que fazer para acalmar cachorro estressado.  

Como tratar o estresse em cachorro?

Cachorro estressado tem tratamento? Caso o animal tenha sido examinado, e o profissional constatou que as alterações encontradas são consequentes do estresse, é preciso fazer mudanças. 

No geral, algumas alterações na rotina do peludo serão essenciais. Mais atividade, brincadeiras e passeios costumam ser indicados. Outra possibilidade de como aliviar estresse de cachorro é por meio de um hormônio sintético colocado em um aparelho ligado na tomada. 

Esse tipo de opção é comumente usada em casos nos quais um pet novo foi adotado ou a família mudou de casa. Esse hormônio sintético acalma e deixa o processo menos traumático. 

Por fim, o enriquecimento ambiental é parte importante do tratamento do cachorro estressado. O animal precisa ter como se distrair durante o dia. Para isso, há brinquedos adequados que podem ser usados. 

Dicas para evitar o estresse em cães

  • Tenha um tempo de prazer com seu cão. Brinque, passeie, faça atividades lúdicas
  • Garanta que ele tenha um espaço adequado para se divertir mesmo na sua ausência.
  •  Ofereça um local longe do frio e da chuva;
  • Passeie regularmente com o peludo;
  • Ofereça brinquedos para que ele possa se entreter;
  • Procure praças, cachorródromos para sociabilizá-lo
  • Caso vá adotar um animal novo, faça a adaptação aos poucos para evitar que o pet antigo sinta que todo o espaço da casa foi invadido;
  • Em épocas de fogos de artifício, coloque algodão no ouvido do pet, feche as janelas e ligue a TV para evitar um grande estresse;
  • Se alguém querido pelo pet for viajar, deixando-o triste, intensifique as brincadeiras e passeie mais vezes. Isso pode ajudar a entretê-lo e a estimulá-lo a se alimentar. 

Mesmo assim, caso note que algo não está bem, leve-o ao médico-veterinário quanto antes.

Fonte: Seres