Bichos

Conheça os cuidados necessários com o seu pet no Verão

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e Acadêmica de Medicina Veterinária
Conheça os cuidados necessários com o seu pet no Verão

24 de janeiro de 2022 - 13:52 - Atualizado em 24 de janeiro de 2022 - 13:54

Com temperaturas acima do normal em muitas regiões do país, seu pet merece atenção redobrada já que calor excessivo pode causar problemas de saúde

Verão é sinônimo de altas temperaturas. Nesta estação é muito importante estar atento aos hábitos do seu pet para mantê-lo saudável, uma vez que o calor excessivo pode causar problemas na saúde dele. Então, vamos conhecer algumas dicas para manter a qualidade de vida dos bichinhos nesta estação do ano?
Assim como para os humanos, manter o pet hidratado é muito importante durante esta época. Por isso, troque a água do seu animal de estimação várias vezes ao dia e, se possível, utilize líquido refrigerado. Colocar pedrinhas de gelo no bebedouro também pode ser uma boa opção para manter o frescor por mais tempo. “Animais desidratados ficam suscetíveis a manifestar mais doenças e problemas de saúde de maneira geral. Além disso, devido ao porte, a desidratação pode ocorrer em uma velocidade maior do que em nós, humanos. Por isso é extremamente importante manter a disponibilidade de água fresca constante”, sinaliza Daniel Cooper, veterinário e diretor de operações do Grupo My Pet.

Para pets muito peludos, uma tosa mais baixa é uma boa opção para minimizar o calor. Lembre-se que algumas raças são originárias de locais frios e que, vivendo num país tropical como o Brasil, eles tendem a sofrer mais com o verão. Fique atento caso você tenha São Bernardo e Husky Siberiano, por exemplo. A atenção com eles deve ser redobrada neste período.

Outras raças que precisam de maior atenção são os braquicéfalos – os famosos cães de focinho achatado, como Pugs e Bulldogs. Estas raças têm tendência a apresentar problemas respiratórios e, consequentemente, maior dificuldade em perder calor (caninos transpiram pelo focinho, sabia?).

Diante disso, Dr. Daniel orienta a ficar atento a sinais de respiração ofegante ou cansaço excessivo nestes bichinhos. “Diferente de nós, que trocamos maior parte do calor corporal através da sudorese, os cães trocam a maior parte do calor pela respiração. Animais braquicefálicos, tendem a ter mais dificuldade de trocar calor devido a conformação da via respiratória, por isso, o cuidado deve ser redobrado. De maneira geral, é importante evitar passeios e atividade excessiva em horários de maior temperatura”, alerta o veterinário.

Se você costuma passear diariamente com o seu bichinho, fique mais atento aos horários. Evite momentos de pico de sol e calor, prefira sempre o início da manhã, final da tarde ou início da noite. Além de prevenir a desidratação do pet, não levá-lo para a rua com o sol intenso ajuda a evitar queimaduras nas patinhas deles.

Outra dica evitar que seu amigo de quatro patas fique em locais muito fechados ou abafados. E fique atento a sinais como vômito, diarreia, dificuldade de respirar e se locomover, e, até mesmo, convulsões. Caso o pet apresente algum destes sintomas, procure um veterinário imediatamente.