Bichos

Conheça as 5 doenças comuns em gatos

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação @paulinemachadooficial
Conheça as 5 doenças comuns em gatos

3 de novembro de 2021 - 00:35 - Atualizado em 17 de novembro de 2021 - 11:10

Apesar de os gatos serem conhecidos por sua independência e autonomia, eles também estão suscetíveis a enfermidades, e a melhor maneira de evitar as doenças comuns em gatos é conhecendo esses problemas.

Preparamos um guia com cinco das principais doenças dos gatos, seus sintomas e os tratamentos para cada uma delas. Para quem tem um gatinho em casa, essas informações valem ouro!

1. FIV (Imunodeficiência Viral Felina)

Conhecida como AIDS Felina, a FIV ou Imunodeficiência Viral Felina é uma das doenças mais temidas. O vírus ataca o sistema imunológico dos gatos e pode levar à morte, principalmente devido a infecções que se aproveitam da falta de defesa do organismo.

A transmissão de algumas doenças comuns em gatos pode se dar por relações sexuais. É o caso da FIV, embora a forma mais comum seja por meio do contato de um gato saudável com a saliva de um gato infectado. Por isso, a enfermidade é mais comum entre os pets que andam livremente ou que frequentemente se envolvem em brigas.

Sintomas e prevenção

Os sintomas do vírus da imunodeficiência felina podem variar de acordo com o pet, mas geralmente envolvem falta de apetite, febre e aumento dos linfonodos. Por isso, fique atento a qualquer sinal.

Não existe uma vacina para gatos capaz de curar a FIV. Assim, o pet diagnosticado precisa de tratamento e acompanhamento durante toda a vida. A melhor forma de prevenir a doença é a castração, que inibe o comportamento agressivo dos gatos e deixa os bichanos mais caseiros.

2. FELV (Leucemia Viral Felina)

Outra doença comum e muito perigosa, a FELV é um dos principais problemas de saúde entre os bichanos. A sigla vem do inglês e significa “Feline Leukemia Virus”. Assim como a FIV, ele causa enfraquecimento do sistema imunológico, o que pode gerar complicações. 

A transmissão se dá pelo contato da saliva de um gato infectado com um saudável. Como os bichanos adoram se lamber, isso pode ser um problema na hora da prevenção.

Sintomas e prevenção

Os sintomas perceptíveis envolvem falta de apetite, febre e apatia, mas apenas um veterinário poderá diagnosticar a doença. A FELV também não tem cura, e o pet contaminado deverá passar por tratamento durante toda a vida. Porém, com o acompanhamento correto, é possível ter uma boa qualidade de vida.

Para prevenir, a principal recomendação é a castração, que ajuda a evitar que o bichano saia de casa. Para os lares com mais de um gato, o melhor é ter comedouros, bebedouros e brinquedos separados para cada pet.

3. Insuficiência renal

Quem é gateiro sabe que os bichanos não são muito chegados à água. Acredita-se que isso esteja relacionado à origem da espécie, já que alguns estudos indicam que o gato doméstico se originou em regiões desérticas.

Porém, a baixa ingestão de água colabora para uma das doenças comuns em gatos: a insuficiência renal. Muito comum em gatos mais velhos, ocorre quando os rins não trabalham muito bem, podendo levar à anemia, apatia, diarreia e desidratação.

Prevenção e tratamento

O tratamento da insuficiência renal em gatos pode incluir desde mudanças na alimentação até o uso de medicação. A hidratação é a principal arma de prevenção contra a doença renal. Os bebedouros do tipo fonte são ótimos para os bichanos, que preferem água em movimento.

É possível encontrar o bebedouro ideal para seu amigo em lojas bem equipadas, como a Petz. Outra dica é utilizar ração de qualidade e procurar mesclar a ração seca com a úmida sempre que possível. Assim, a insuficiência renal é uma das doenças em gatos que pode ser evitada.

4. Obesidade

Não é novidade que a obesidade é um dos principais problemas de saúde hoje em dia, mas o que pouca gente se lembra é que ela também pode atingir os pets. 

Apesar de gatos rechonchudos serem um tanto charmosos, a obesidade pode causar complicações, como diabetes, problemas articulares e alterações cardíacas. Por isso, nada de deixar de tratar a obesidade por achar seu pet bonitinho!

Prevenção e tratamento

Felizmente, em muitos casos, a doença pode ser evitada por meio de uma alimentação controlada e de qualidade. Vale lembrar que as rações são cuidadosamente elaboradas para fornecer os nutrientes ideais para os pets, que não precisam de alimentos humanos.

5. Cálculos renais

Entre as doenças mais comuns estão os cálculos gerados pela falta de hidratação dos bichanos. Também conhecidos como pedras no rim, eles podem causar muita dor ao seu filho de quatro patas e, em alguns casos, facilitar as doenças infecciosas em gatos.

O sinal mais claro de existência de pedras nos rins costuma ser a presença de sangue na urina. Se o cálculo estiver obstruindo a passagem dela, o caso se agrava.

Prevenção e tratamento

O tratamento dos cálculos renais envolve mudança de dieta, hidratação intensa e, em alguns casos, intervenção cirúrgica para desobstruir o canal urinário.

Para tentar não ver seu gato doente, não se esqueça de fornecer sempre água fresca ao pet. A ração úmida também é uma boa escolha para garantir mais hidratação.

Fique atento ao seu pet

Apesar de cada doença necessitar de diagnóstico e tratamento específicos, alguns comportamentos podem garantir uma melhor qualidade de vida ao gato, como boa alimentação, hidratação intensa e restrição de acesso à rua.

Fonte: Petz