Bichos

Conheça 4 doenças mais comuns em filhotes de cachorros

Pauline
Pauline Machado / Canal de Estimação Jornalista e Acadêmica de Medicina Veterinária
Conheça 4 doenças mais comuns em filhotes de cachorros

18 de janeiro de 2022 - 00:37

Adotou um peludo de estimação? Eles são uma ótima companhia e enchem a casa de alegria. Enquanto pequenos, adoram brincar, mas também podem ter alguns problemas de saúde. Você sabe quais são as doenças de cachorros filhotes mais frequentes? Descubra e veja como evitá-las!

Conjuntivite é uma das doenças de cachorros filhotes

Essa é uma das  doenças em cachorros que acometem os filhotes. Trata-se de uma inflamação que deixa o pet com os olhos vermelhos. Algumas vezes, há um aumento de lacrimejamento, chegando a ficar com secreção algumas vezes. Gera incomodo no pet, coçando com frequência a região e as pálpebras podem ficar entreabertas.

As causas são variadas e vão desde uma infecção bacteriana e/ou viral até uma inflamação por alergia. 

A conjuntivite causa bastante incômodo e requer tratamento. Por isso, caso haja algum dos sintomas de doenças em cachorros como os citados, leve o peludo ao médico-veterinário. No geral, o tratamento é feito com um colírio específico, e a recuperação tende a ser satisfatória.

Parvovirose

parvovirose é uma das doenças de cachorros filhotes que são consideradas muito perigosas. Ela é causada por um vírus e acomete principalmente o trato gastrintestinal do cão. Embora seja mais frequente em filhotes, cães adultos também podem ser infectados.

Se os sintomas não forem controlados rapidamente, a doença evolui e o animal pode não suportar. A diarreia intensa e o vômito levam o peludo à rápida desidratação. Os principais sinais clínicos da parvovirose são:

  • Vômito;
  • Anorexia;
  • Prostração;
  • Perda de peso;
  • Diarreia com o odor forte e com sangue nas fezes;
  • Mucosas pálidas,
  • Febre — nem sempre está presente.

Na grande maioria das vezes o caso é de urgência médica, e pode resultar em internação. O tratamento é feito com medicamentos de suporte, soro  analgésicos para as dores abdominais e, algumas vezes, antibioticoterapia para impedir que bactérias oportunistas agravem o quadro. Além disso, um antiemético — remédio para impedir vômitos — também costuma ser administrado pelo médico-veterinário.

O quadro é grave e o melhor mesmo é evitar a parvovirose. Para isso, há uma vacina, cuja primeira dose deve ser aplicada aos 45 dias de vida.

Obstrução por ingestão de corpo estranho 

Outro problema de saúde frequente em filhotes é a obstrução do trato gastrintestinal por ingestão de corpo estranho. Isso acontece porque eles são muito ativos e curiosos. Assim, acabam colocando na boca tudo que encontram pela frente e nem sempre largam o objeto.

Algumas vezes, os peludos engolem moedas, tampinhas, plásticos, dentre outros itens que encontram pelo ambiente. O problema é que esses objetos não são digeridos, e acabam ficando parados no estômago ou no intestino, desencadeando lesão, e, em casos mais graves, interrompendo o fluxo gastrointestinal e irrigação sanguínea do órgão.

Nesse cenário, ele pode apresentar sinais como:

  • Vômito;
  • Náusea – representada algumas vezes com salivação em excesso;
  • Dificuldade em defecar – tenta, mas não consegue;
  • Inquietação;
  • Aumento abdominal;
  • Gemidos de dor.
  • Prostração

Essa também é uma das doenças de cachorros filhotes que requerem atendimento rápido. Então, o peludo precisa ser levado ao médico-veterinário. Para confirmar se há uma obstrução e qual a causa, o profissional poderá solicitar um exame de raio X.

Caso o diagnóstico seja confirmado, o médico-veterinário poderá definir o melhor tratamento. Algumas vezes, a opção é pela realização de um procedimento cirúrgico. Em outras, a endoscopia pode ser não somente um método d e exame, como também a solução (remoção do corpo estranho). O quadro é delicado, e o atendimento deve ser ágil.

Cinomose

Essa também é uma das graves doenças de cachorros filhotes, mas pode acometer adultos. Ela é causada por um vírus que afeta principalmente os sistemas digestório, respiratório e nervoso. Por isso, o peludo pode apresentar os seguintes sinais clínicos:

  • Apatia;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Febre;
  • Secreções nos olhos;
  • Secreções nasais;
  • Convulsões;
  • Paralisias;
  • Tremores e contrações musculares involuntárias,
  • Falta de coordenação.

Não há remédio contra o vírus da cinomose. O tratamento costuma ser feito para reforçar as defesas do organismo e evitar infecções bacterianas oportunistas, bem como analgésicos para reduzir os desconfortos causados pela afecção.

Fatal em muitos casos, a doença tem prevenção, uma vez que há vacinação que protege o filhote. 

Fonte: Centro Veterinário Seres