Agronegócio

Pequeno produtor rural de Prudentópolis recebe o prêmio “Orgulho da Terra”

Feijão é a principal fonte de renda da família Gaspareto

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Pequeno produtor rural de Prudentópolis recebe o prêmio “Orgulho da Terra”

23 de dezembro de 2021 - 17:39 - Atualizado em 23 de dezembro de 2021 - 17:39

O tamanho da propriedade é fator secundário, quando falamos do produtor rural Moacir Gaspareto. Na área rural do município de Prudentópolis, conhecido pelas belezas naturais e cachoeiras gigantes, o destaque vai para o plantio de um pequeno grão, que mudou a vida do casal Natália e Moacir Gaspareto, que fez da plantação de feijão, sua principal fonte de renda. A atividade foi herdada dos pais e avós de Moacir, que conta orgulhoso, a história de sucessão familiar. “Eu venho de uma família produtora de feijão. A gente optou em trabalhar com o feijão, por ter rentabilidade na pequena propriedade, além de garantir um alimento saudável para a família.”

Foi exatamente por se destacar como produtor de feijão, na Chácara Sabores da Terra, que o pequeno produtor rural Moacir Gaspareto recebeu no mês de dezembro, o prêmio “Orgulho da Terra”, que é uma iniciativa do Grupo RIC de Comunicação, juntamente com o IDRPR – Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná e com a Ocepar – Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná. O prêmio “Orgulho da Terra”, homenageou 12 produtores, com as melhores práticas do agronegócio no Paraná, no início deste mês de dezembro. As categorias premiadas foram: soja e milho, bovinocultura (leite), bovinocultura (corte), feijão, psicultura, turismo rural, agroecologia – agricultura orgânica, sericicultura, inclusão social, agroindústria, suíno e aves. 

Estratégias ecologicamente corretas

Na chácara Sabores da Terra, de apenas um alqueire, o pequeno produtor Moacir Gaspareto explica, que para se conseguir um feijão de qualidade, é preciso optar pelo uso de produtos biológicos e aplicar estratégias ecologicamente corretas de plantio. “O primeiro passo é ter uma boa correção do solo. O segundo passo, é uma semente de genética boa, livre de doenças. A gente trabalha com produtos biológicos, fungicidas e inseticidas biológicos.”

E Moacir Gaspareto dá dicas importantes para quem pretende investir numa pequena propriedade: “para ela ser rentável, não pode focar numa única cultura. Você precisa ter uma cultura base, como no nosso caso, o feijão é a principal, mas tem que ter a hortaliça e a fruta. Eu nasci produtor rural, cresci aqui e sou feliz aqui, vivo disso. Na pequena propriedade, você consegue viver muito bem.”

Mão de obra familiar

E o pequeno produtor rural de Prudentópolis, conta que o apoio da esposa, Natália Gaspareto, é fundamental para alcançar a lucratividade. Ele afirma ser a mão de obra familiar e o esforço conjunto, responsáveis pelo sucesso do empreendimento. Natália explica que fez cursos de panificação, faz massas e que ao vender os produtos, consegue retorno financeiro para ajudar na renda da casa.

Além do plantio do feijão, o casal cultiva verduras, morango irrigados e suculentas. Estes artigos são comercializados em feiras do produtor. E ao seguir um caminho mais natural, eles conseguem apresentar o feijão sem muita química, com base no biológico, com qualidade superior a encontrada na região. 

Comprometimento e novas tecnologias

Para Heitor Prezzi, extensionista do IDR Paraná, o ganhador do prêmio “Orgulho da Terra”, na categoria feijão, Moacir Gaspareto, é um exemplo a ser seguido. “Ele é um produtor comprometido, que leva a sério as recomendações da equipe técnica. Ele é muito ativo, aberto a novas tecnologias. Participativo na comunidade, faz parte do conselho municipal de desenvolvimento rural. Preocupado em entregar um produto ecologicamente correto, obedecendo todos os cuidados dos recursos naturais, que a gente precisa para produzir e sobreviver.” 

O projeto “Orgulho da Terra” é apresentado pela COAMO – Cooperativa Agroindustrial LTDA e  tem o patrocínio da Pneu Z.