Agronegócio

Milho e soja sobem após agricultores nos EUA plantarem menos acres do que o esperado

Reuters
Reuters

30 de junho de 2021 - 17:46 - Atualizado em 30 de junho de 2021 - 17:50

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – Os futuros dos grãos e da soja negociados em Chicago avançaram nesta quarta-feira, após o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) surpreender traders com estimativas de plantio e dados de estoque abaixo do esperado.

O milho atingiu seu limite diário de alta após o USDA fixar os plantios da safra em 92,692 milhões de acres, abaixo das expectativas dos analistas de 93,787 milhões. A agência disse que o plantio da soja estava em 87,555 milhões de acres, comparado às expectativas dos analistas de 88,955 milhões.

Os EUA estimam preocupações mundiais de oferta com recuo dos estoques e áreas produtoras da América do Sul e do Norte lutando com clima desfavorável.

“Nós precisávamos de maiores acres para nos fornecer um amortecedor e isso foi para o lado errado”, disse Don Roose, presidente da corretora U.S. Commodities. baseada no Iowa.

Os futuros do milho para dezembro fecharam em alta no limite diário de 40 centavos de dólar, para 5,8850 dólares o bushel. O limite será temporariamente expandido para 60 centavos na quinta-feira, de acordo com o proprietário da CBOT, CME Group.

Já a soja para novembro avançou 86,50 centavos, para 13,99 dólares o bushel e atingiu a máxima em mais de duas semanas. O trigo para setembro fechou em alta de 33,25 centavos, para 6,7950 dólares o bushel.

(Reportagem de Tom Polansek em Chicago, Naveen Thukral e Sybille de La Hamaide; reportagem adicional de Karl Plume e Chris Walljasper em Chicago)