Agronegócio

Açúcar branco atinge máxima de 4 anos; café também avança

Reuters
Reuters
Açúcar branco atinge máxima de 4 anos; café também avança
Produção de açúcar

18 de agosto de 2021 - 19:04 - Atualizado em 18 de agosto de 2021 - 19:05

Por Marcelo Teixeira e Nigel Hunt

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar branco avançaram para a máxima em mais de quatro anos nesta quarta-feira, impulsionados em parte por fortes ganhos no mercado de matérias-primas, enquanto os preços do café também avançaram.

AÇÚCAR

* O açúcar branco para outubro fechou em alta de 3,10 dólares, ou 0,6%, a 504,50 dólares a tonelada, após avançar para um pico de 510,30 dólares – a máxima desde março de 2017.

* Os operadores disseram que o desconto do primeiro contrato para dezembro diminuiu significativamente nos últimos dias, refletindo em parte uma pausa nas vendas da Índia, à medida que os preços domésticos aumentam no país que mais consome o mundo.

* O açúcar branco também estava acompanhando os ganhos recentes no mercado de matérias-primas, que avançou para máxima de quatro anos e meio na terça-feira.

* O açúcar bruto para outubro fechou em alta de 0,15 centavo de dólar, ou 0,7%, a 20,17 centavos de dólar por libra-peso.

* A Índia pode exportar 6 milhões de toneladas de açúcar na nova temporada que se inicia em outubro, mesmo sem subsídios do governo, com os preços globais em máximas de quatro anos e meio tornando as vendas ao exterior mais lucrativas, disseram autoridades do setor nesta quarta-feira.

CAFÉ

* O café arábica para dezembro fechou em alta de 0,85 centavo de dólar, ou 0,5%, a 1,8285 dólar por libra-peso.

* O mercado continuou a ser sustentado por preocupações de que as geadas recentes irão restringir a produção no Brasil na próxima temporada.

* “Estamos todos de acordo que 21/22 é um ano de grande déficit (global) … 22/23 provavelmente também será um ano deficitário devido à geada”, disse a Cardiff Coffee Trading.

* Uma pesquisa da Reuters divulgada este mês tinha uma previsão de um déficit global de 9 milhões de sacas de 60 quilos para a temporada de 2021/22. [COF/POLL]

* A consultoria TRS espera perda de 4% para produção no próximo ano no Brasil, como consequência das geadas.

* O café robusta para novembro fechou em alta de 32 dólares, ou 1,7%, a 1.877 dólares a tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Nigel Hunt)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH7H162-BASEIMAGE